Uma âncora da Fox 29, na área da Filadélfia, Karen Hepp, coapresentadora do Good Day Philadelphiaestá processando o Facebook, Reddit e outras plataformas no tribunal federal depois de descobrir que uma foto dela tirada em uma loja de conveniência estava aparecendo em anúncios de namoro e disfunção erétil, segundo o The Verge.

Nos documentos do tribunal, Hepp alegou que o Facebook, Reddit, Imgur, Giphy e o site de pornografia XNXX violaram seus direitos de personalidade e também prejudicaram sua reputação quando a imagem apareceu em “um anúncio do Facebook que promete encontros com ‘mulheres solteiras’, um anúncio não especificado de disfunção erétil [no XNXX], um fórum do Reddit para fotos sexualizadas de mulheres mais velhas [r/OBSF] e a tag ‘MILF’ no Imgur”, segundo o The Verge. O processo também afirma que a versão da foto publicada no Giphy havia sido modificada: “Um vídeo de um homem aparece no fundo – que está escondido atrás da porta de vidro de um freezer comercial e se masturbando – para o que pareceria, de sua perspectiva, as costas da autora do processo”.

A imagem de Hepp como apareceu na galeria “MILF” do XNXX. Imagem: Law & Crime

A foto de Hepp (à direita) aparecendo em um anúncio de serviços de paquera no Facebook. Captura de tela: Law & Crime

A imagem em questão mostra Hepp em um supermercado vestindo uma camisa decotada (o que quase condiz com os padrões definidos nas leis de pornografia de vingança da Pensilvânia). Como os sites têm proteção de responsabilidade contra o conteúdo gerado por usuários nos termos da seção 230 da Lei de Decência nas Comunicações, Hepp pode enfrentar grandes obstáculos contra as plataformas acusadas, como o Facebook e o Reddit, embora seja mais fácil culpar o responsável por divulgar as fotos nessas plataformas.

De acordo com a Philly Mag, Hepp diz que não sabe onde a foto foi tirada especificamente – embora acredite que alguém a tenha tirado sem sua permissão em Nova York – e está pedindo mais de US$ 10 milhões, além da remoção imediata do conteúdo:

Hepp diz que não sabe exatamente de onde veio a foto em questão, mas o processo menciona uma loja de conveniência desconhecida na cidade de Nova York. O processo alega que a foto foi tirada sem a permissão dela.

Ela está pedindo que o tribunal ordene que os sites em questão removam imediatamente sua foto. O processo também exige indenizações compensatórias de mais de US$ 10 milhões.

A equipe jurídica de Hepp acrescentou nos documentos que ela “mantém um direito exclusivo de controlar o valor comercial de seu nome e/ou semelhantes e impedir que outros o explorem sem permissão” e “nunca teria permitido que nenhum dos réus usasse sua imagem para promover interesses libertinos”.

Segundo o Philadelphia Inquirer, os acusados ​​não responderam a um pedido de comentário, enquanto a Fox 29 encaminhou todas as perguntas ao advogado de Hepp, que se recusou a comentar mais detalhes.