O sucesso passageiro dos miniconsoles pode ter passado — lembra do SNES Classic Edition e do Sega Genesis Mini? –, mas isso não significa o fim de novos modelos desses aparelhos. É o caso do Arduboy Nano, que leva essa proposta ao extremo, já que é um videogame portátil tão pequeno que muito provavelmente você vai precisar de um microscópio para conseguir jogar.

O projeto é de Kevin Bates, que já fabricou outros dispositivos em tamanho mini. Em 2014, ele surpreendeu com uma placa eletrônica do tamanho de um cartão de visita que colocava o jogo Tetris dentro da sua carteira. Essa criação acabou se tornando um sistema portátil oficialmente licenciado e inspirou a criação do Arduboy, um clone do Game Boy produzido em versão de código aberto e baseado em Arduino. É um dos menores videogames portáteis que você pode comprar.

Imagem: Kevin Bates

Agora, Bates ataca novamente com o Arduboy Nano. Com menos de 2,5 cm de altura e menor do que algumas moedas, o “console”, por assim dizer, é feito de três partes fabricadas em uma impressora 3D que são coladas umas às outras. Na parte externa fica uma tela OLED de 0,49 polegadas e 2.048 pixels, usada para visualizar (ou tentar) os jogos.

O gadget também vem com uma bateria recarregável de 25 mAh com capacidade para cerca de uma hora de jogo, além de um alto-falante silencioso de 15 milímetros. O aparelho é alimentado pelo mesmo microcontrolador ATmega 32u4 presente na versão original do Arduboy.

De acordo com Bates, o Arduboy Nano é totalmente jogável. Mas isso assumindo que seus dedos são pequenos o suficiente para apertar os botões. E isso também se os seus olhos forem capazes de focar igual a um microscópio eletrônico.

No momento, Bates não tem planos de colocar o Arduboy Nano em produção, mas se houver interesse suficiente a ideia é colocá-lo à venda na internet por meio de financiamento coletivo.