Lontras são alguns dos animais mais fofos e divertidos da Terra. É sempre uma alegria vê-los na natureza. Conservacionistas da Fundación Rewilding sentiram isso recentemente. Eles recentemente avistaram uma lontra-gigante nadando no rio Bermejo no Parque Nacional Impenetrável, localizado na província de Chaco, no nordeste da Argentina.

A aparição foi tão empolgante porque a espécie de lontra, oficialmente conhecida como Pteronura brasiliensis e também chamada de ariranha, era considerada extinta na área. Ela não tinha sido vista em nenhum lugar do país desde 1980, e mais do que isso, foi avistada pela última vez naquele rio em particular há mais de 100 anos.

Sebastián Di Martino, diretor de conservação do grupo local Tompkins Conservation, foi quem viu a lontra enquanto andava de caiaque.

“Na hora, pegamos o celular e começamos a filmar. Quando ela colocou o corpo pra fora d’água e mostrou a inconfundível mancha branca no pescoço, não tivemos dúvidas, era uma ariranha gigante. Não podíamos acreditar”, disse Di Martino em comunicado por e-mail.

Não se sabe como a ariranha apareceu no rio, mas o fato levanta a algumas hipóteses. Uma delas, segundo o diretor do Tompkins, é que o animal pode ter viajado de volta para a Argentina vinda do Pantanal Paraguaio — a maior área alagada do mundo, que se estende pelo Brasil, Bolívia e Paraguai. Outra possível explicação é que havia uma população invisível de ariranhas gigantes selvagens na Argentina o tempo todo. Isso seria notável, já que as criaturas tendem a se reunir em grandes grupos.

Para a felicidade de todos, posteriormente, a organização postou o vídeo no Twitter, e agora podemos ver a lontra subindo e descendo na água — como fiz pelo menos 30 vezes esta manhã.

O momento é realmente tocante. “Nossas pernas ficam fracas e seu coração começa a bater mais rápido”, disse Di Martino ao Guardian sobre sua experiência.

Não somente isso — ver a lontra no parque novamente é tão emocionante porque indica que o Bermejo pode sustentar populações de lontras se receber a proteção necessária. E isso é importante porque as ariranhas desempenham papéis essenciais nos pântanos e rios argentinos. A espécie é um predador no topo da cadeia alimentar aquática, ou seja, ela regula as populações de peixes e mantém o equilíbrio dos ecossistemas. Na verdade, as criaturas são tão importantes que a Tompkins Conservation vem trabalhando há anos para reintroduzi-las nos parques nacionais da Argentina. No verão de 2019, o grupo começou a integrar aos pântanos de Iberá uma lontra gigante que cresceu no zoológico de Budapeste, na Hungria

Assine a newsletter do Gizmodo

Mas isso não vai ser possível se não houver medidas de conservação. Embora o Parque Nacional Impenetrável, onde a lontra foi vista, esteja protegido de ameaças externas, Chaco é um dos lugares mais desmatados do planeta e está cheio de outros perigos, como caça ilegal, agricultura e desenvolvimento. Como Kristine Tompkins, fundadora da Tompkins Conservation, disse no Twitter, o avistamento foi “uma ótima notícia, que adiciona urgência à necessidade de expandir o parque para proteger esta espécie”.