O novo felino da Apple foi apresentado agora há pouco, e se você já usa Mac, saiba que ele mudará bastante o formato de uso do sistema. Como já dissemos antes, as melhores sacadas do iPad agora foram parar no desktop, por US$ 30, e será vendido apenas pela Mac App Store.

Modo Tela Cheia



A opção de tela cheia é um dos aspectos mais marcantes do novo sistema operacional — após 10 anos de OS X, todos os apps terão a capacidade de rodas em tela cheia. Programas como o iLife ’11 terão elementos para encher a tela em situações específicas. Vários apps abertos em tela cheia serão trocados pelo gesto de passar o dedo no touchpad com novas habilidades, e o resultado, pelo menos na demonstração foi bem bonito.

Diga adeus ao aperto de várias janelas. O redesenho é minimalista.

Mission Control

O Mission Control é basicamente o novo Exposé, integrando o Dock, o Dashboard e ícones de todos os programas abertos, estejam eles em janelas ou tela cheia. Em vez de ter de navegar em três interfaces diferentes, o sistema junta tudo em um só gesto.

Mover janelas para locais diferentes também ficou bem mais fácil, já que o Lion permite puxar e levar qualquer app aberto para um sistema de pastas classificáveis no topo direito do sistema. Quando ele estiver no lugar certo, é só soltar. Novamente, parece algo bem simples.

Launchpad

O Launchpad foi mais ou menos arrancado do iPad e enfiado no Lion. Em vez de ter de clicar na pasta de aplicativos ou selecionar algo em um dock lotado, todo programa instalado pode ser aberto e encontrado em páginas idênticas ao formato do iOS. Fácil de procurar e bem simplificado.

Como os apps ficarão:                                                                   Como as pastas ficarão:

 

Resume

Habilidade esperta e necessária. O Lion irá guardar todos os movimentos de um app no momento em que você fechá-lo — e trará tudo de volta quando ele for reiniciado. Posição das janelas, configurações, tudo. Usando o Pages com algum texto cheio de anotações? Saia, abra de novo — tudo estará lá, sem tirar nem pôr.

Versions

Parecido com o Resume, o Versions adiciona a habilidade de viajar no tempo em seu Mac. Ok, não é exatamente isso, mas você poderá salvar uma imagem de qualquer trabalho a qualquer momento, e trocar a versão atual por ela, como um Time Machine evoluído. Se o Resume era necessário e comum em todos os sistemas, o poder de salvar e editar versões antigas com facilidade é um fator diferente (e muito útil!).

Mac App Store

A loja em si não é nova, mas, olha, eles estão levando isso a sério. Ele está profundamente interligado com o sistema, e se você quiser mesmo tirar todo o proveito do Launchpad, a Apple vai te forçar sutilmente a usar a loja deles — apps adquiridos por lá vão diretamente para a telinha (ou telona). E, bem, o sistema todo só poderá ser comprado via Mac App Store, nada de mídias físicas. Menos um ponto para você, drive óptico.

AirDrop

Quer mandar um arquivo para um amigo? Claro. Você sempre quis isso e fazia por outros caminhos. Mas agora ele estará embutido no sistema. O AirDrop é um sistema direto, via Wi-FI P2P, que permite o compartilhamento de arquivos com qualquer um próximo de você. Não parece que ele poderá ser usado para enviar arquivos para qualquer um na internet, mas para colaboração em um mesmo local — trabalho, estudo etc. — parece uma boa sacada.

Mail

O app de e-mail da Apple também ganhou um tapa na oficina. Layout com tela cheia, interface com três colunas e uma busca mais inteligente do que antes. Encontre exatamente o que você procura, selecione por data (procurar por “março” irá também achar todas as mensagens enviadas… em “março”). No resumo, ele adiciona detalhes que os concorrentes já tinham. Mas para os que já usam o app, eis uma notícia muito boa.