Embora as baterias de íons de lítio sejam a melhor que temos à disposição, elas geralmente levam muito, muito tempo para serem recarregadas. Agora, uma equipe de pesquisadores desenvolveu uma nova técnica de fabricação de baterias capaz de diminuir o tempo de recargar de horas para minutos.

Na forma com que as baterias de íons de lítio são feitas hoje, elas têm condutores que alimentam as partículas que seguram carga dentro da célula. O problema é que a carga é depositada de fora para dentro, de modo que a seção que segura a carga no meio não fica exposta a corrente alguma.

A nova técnica desenvolvida por pesquisadores do Instituto Nacional Ulsan de Ciência e Tecnologia, na Coreia do Sul, cria baterias que são entrelaçadas densamente por condutores, então a bateria inteira começa a recarregar ao mesmo tempo.

Para isso, eles colocaram o material celular em uma solução contendo grafite, que faz o carbono penetrar nos materiais. Quando carbonizado, o resultado é “uma densa rede de condutores ao longo dos eletrodos da bateria.”

Em testes, a equipe demonstrou que os condutores ao longo da bateria dessa forma produz células que pode ser recarregadas entre 30 e 120 vezes mais rápido do que as baterias de íons de lítio convencionais. A pesquisa foi publicada na Angewandte Chemie.

Claro, enfiar mais coisa dentro da bateria pode reduzir a sua capacidade ou aumentar sensivelmente o seu tamanho — mas talvez o sacrifício valha a pena se você economizar horas de recarga. Agora, por favor, alguém se apresse e coloque essa invenção em algum smartphone comercial. [Angewandte Chemie]