Pescadores noruegueses descobriram, na costa norte do país, uma beluga usando uma coleira. Os pescadores ficaram fascinados com o quão mansa ela era, mas pode haver uma boa razão para que o animal ficasse tão à vontade em meio aos humanos. Cientistas do Instituto de Pesquisa Marinha da Noruega suspeitam que a baleia e seu arreio possam fazer parte de uma operação preparada por militares russos.

Os cientistas rastrearam a baleia perto da cidade de Ingoy e tentaram remover sua coleira. Conforme relataram os pescadores, o acessório parecia muito apertado, segundo a agência de notícias norueguesa NRK.

A baleia branca foi atraída com petiscos de peixe, mas provou ser evasiva a todo momento, forçando-os a entrar na água para tentar remover o arreio. Quando os cientistas finalmente conseguiram retirá-lo, viram que estava escrito na parte de dentro: “Equipamento de São Petersburgo”.

“Eu tenho estado em contato com alguns pesquisadores russos, e eles podem confirmar que não estão fazendo nada disso. Eles me disseram que o mais provável é que seja alguma coisa da Marinha Russa em Murmansk”, disse Audun Rikardsen, professor da Universidade Ártica Norueguesa em Tromsø, ao site de notícias norueguês VG.

Curiosamente, o arreio também tinha um acessório onde uma câmera GoPro poderia ser colocada, de acordo com a VG. Nenhuma câmera foi descoberta.

Há uma longa história de militares americanos e russos usando animais para experimentos. Em 2017, a TV do Ministério da Defesa da Rússia, a Zvezda, informou que golfinhos, focas e baleias brancas estavam sendo treinados para fins militares.

Como o Guardian aponta, esses animais são treinados para fazer de tudo, desde carregar equipamentos para mergulhadores até vigiar bases militares. Os militares dos EUA usam golfinhos para caçar minas submarinas no Programa de Mamíferos Marinhos da Marinha dos EUA, e os animais também são bastante úteis para encontrar pessoas desaparecidas. De acordo com os relatos mais sensacionalistas, alguns dos animais treinados pelos militares russos são ensinados a matar inimigos em potencial.

Mas as criaturas aquáticas assassinas ainda estão no campo da ficção científica, pelo menos por enquanto. Há um filme exuberante de 1973, chamado Day of the Dolphin, sobre um golfinho treinado para assassinar o presidente dos Estados Unidos. E é tão bobo quanto você imagina.