As bicicletas são melhores para o meio ambiente, mas também têm outra grande vantagem: são mais fáceis de estacionar do que um carro. E com a Poimo, um protótipo de bicicleta elétrica inflável criado na Universidade de Tóquio, você nem precisa encontrar um bicicletário quando chega ao seu destino. Basta uma mochila vazia para guardá-la.

Encher a Poimo (abreviação de “portable” [portátil] and “inflatable mobility” [mobilidade inflável]) é como inflar um colchão de ar.



A bike é feita de poliuretano termoplástico flexível e só precisa ser bombeada a menos de 10 PSI para suportar o peso de uma pessoa. Assim, se você não tiver acesso fácil a uma bomba elétrica que possa inflar completamente a Poimo em pouco mais de um minuto, uma bomba manual compacta pode servir como substituto, embora o processo demore um pouco mais.

Não basta só inflar a Poimo para seguir viagem. É necessário instalar alguns componentes adicionais, incluindo pares de rodas dianteiras e traseiras, um motor elétrico, uma bateria e um controle sem fio que é totalmente integrado aos guidões.

No final das contas, a bike pesa um pouco mais do que 5kg, mas o time de pesquisadores que a criaram acredita que o peso pode ser bastante reduzido quando a Poimo deixar de ser um protótipo e se transformar num produto pronto para os consumidores.

Supondo que não seja fácil de furar a bike acidentalmente, há muitas vantagens em utilizar uma estrutura inflável em vez de uma estrutura tradicional para uma bicicleta elétrica. A vida útil e a autonomia da bateria seriam maximizadas graças ao peso mais leve e, em caso de acidente, substituir essa estrutura inflável provavelmente seria mais barato.

Quem testou o protótipo relatou que a estrutura inflável é muito mais resistente e rígida do que o esperado – e ainda deve proporcionar algum amortecimento no caso de um ciclista colidir acidentalmente com um pedestre. Não seria como ser atropelado por um travesseiro, mas potencialmente muito menos perigoso do que ser atropelado por um carro.