Uma bola de fogo azul esverdeada riscou o céu sobre a Austrália na madrugada desta segunda-feira (15). O objeto apareceu pouco antes da 1 da manhã no horário local, com relatos de testemunhas da região de Pilbara, na Austrália Ocidental, no Território do Norte e na Austrália Meridional, segundo a ABC News. A natureza do objeto ainda não foi confirmada, mas os especialistas suspeitam que tenha sido uma ocorrência natural.

A bola de fogo ficou suspensa no céu por um período generoso de tempo, permitindo que os observadores no solo capturassem a cena com câmeras de celular. Várias testemunhas enviaram cenas para a página Australian Meteor Reports no Facebook, incluindo essa incrível imagem da bola de fogo vista da Ilha de Barrow.

A bola de fogo fez o céu noturno brilhar em tons misteriosos de azul e verde. Em entrevista à ABC News, Glen Nagle, cientista da estação de rastreamento CSIRO-NASA em Canberra, disse que a cor provavelmente se deve ao conteúdo abundante de ferro do objeto.

Renae Sayers, embaixadora de pesquisa no Centro de Ciência, Tecnologia e Espaço da Universidade Curtin, disse que provavelmente é um objeto natural, pelo que indica sua linha limpa e forte no céu.

“O que costumamos ver quando objetos como detritos espaciais ou um satélite queimando é como estalos e faíscas”, disse Sayers à ABC News. “Isso se deve ao fato de haver coisas queimando — então você tem painéis solares espalhados por todo o lugar, há pedaços de metal movendo-se à medida que queima em nossa atmosfera.”

Embora espetaculares e um tanto assustadores, meteoros — ou, como costumam ser chamados, estrelas cadentes — são uma ocorrência comum.

Cerca de 500 meteoritos atingem a superfície da Terra por ano, com incontáveis ​​meteoros queimando na atmosfera antes de atingir o solo. Objetos do tamanho de um campo de futebol americano atingem a Terra uma vez a cada 2 mil anos, causando extensos danos locais, enquanto asteroides que representam um risco existencial atingem a Terra na ordem de milhões de anos, como o objeto que causou a extinção de todos os dinossauros não aviários, de acordo com a NASA.

Um evento semelhante foi visto na Austrália em maio, quando os detritos espaciais reentraram na atmosfera e produziram uma bola de fogo particularmente impressionante — um evento atribuído a um dos estágios finais de um foguete russo queimando na reentrada.