Equipes de construção em Nova York fecharam uma rua no distrito de Flatiron nesta quarta-feira (5) depois de, acidentalmente, encontrar uma bomba. Mas logo descobriram que a bomba não estava cheia de explosivos. Surpreendentemente, o estranho artefato de metal estava repleto de cartas e fotos. Sim, essa bomba era na verdade uma cápsula do tempo, originalmente enterrada nos anos 1980.

• Cientistas revelam o segredo do concreto romano indestrutível
• Como o impacto de um asteroide gigante ajudou os sapos a dominarem a Terra

O esquadrão antibombas foi chamado, e as equipes fecharam a 21st Street, entre as Quinta e Sexta Avenidas. Algumas pessoas até publicaram fotos e vídeos da bomba nas redes sociais antes de saberem o que era.

Um usuário do Twitter declarou que a polícia de Nova York “literalmente encontrou uma bomba na 21st Street”.

Porém, após examinar o objeto, a polícia descobriu que a bomba desativada estava cheia de cartas e fotos de 1985, enterradas pelos donos da lendária (e agora fechada) balada Danceteria. O prédio agora é um espaço comercial, mas as equipes de construção estavam trabalhando para transformar o espaço novamente, dessa vez em apartamentos.

A Danceteria, aberta de 1979 a 1986, é talvez mais famosa pela cena clubber da Madonna no filme Procura-se Susan Desesperadamente (1985).

A polícia ligou para John Argento, antigo dono do local, e lhe perguntou do que aquilo se tratava. Ele explicou que eles haviam adquirido a bomba de uma loja Army Surplus e a pendurado dentro da balada por anos antes de decidir transformá-la em uma cápsula do tempo. Argento e seu sócio haviam encorajado frequentadores do local e músicos a preencher o objeto com lembranças, para ser aberto em dez mil anos.

“Foi uma ótima desculpa para fazer duas grandes festas”, Argento contou ao blog Daily Intelligencer, da New York Magazine. “Podemos fazer uma festa quando a preenchermos e podemos fazer uma segunda festa quando, solenemente, a enterrarmos no solo.”

Uma terceira festa para abri-la, é claro, não iria acontecer. A antiga cápsula do tempo não sobreviveu sequer trinta anos, muito menos dez mil. Tudo que estava dentro da cápsula, enterrada embaixo de um estacionamento, foi supostamente destruído por danos causados pela água, embora Argento não possa saber com certeza que tudo está perdido até que a cidade lhe devolva a posse do objeto. A polícia de Nova York está a mantendo por mais alguns dias para que uma busca apropriada seja conduzida no item.

Pelo visto aquelas bombas típicas dos antigos desenhos de Looney Tunes não são as melhores opções com as quais se fazer cápsulas do tempo, se você quiser que os itens dentro dela durem por bastante tempo. Se você quiser mesmo que ela sobreviva ao futuro, provavelmente deveria seguir os conselhos de especialistas, como o pessoal do museu Smithsonian, que tem dicas e truques para preservação.

Como já dissemos várias vezes, enterrar coisas no solo é a pior maneira possível de preservar coisas para o futuro. Mas vamos continuar fazendo isso, porque nunca aprendemos.

[New York and CBS2]