Pesquisadores da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, mapearam o comércio ilegal de aranhas e insetos na internet. De acordo com seu estudo, publicado na revista Global Ecology and Conservation, há nessa lista uma série de espécies em extinção, o que inclui borboletas, sendo vendidas por mais de US$ 3 mil. Isso, como você pode imaginar, representa um grande risco para a biodiversidade. 

No total, os cientistas encontraram à venda 79 espécies listadas pela CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies Silvestres Ameaçadas de Extinção), na Lista Vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza) e na Lista de Espécies Ameaçadas dos EUA. 

Cerca de seis espécies podiam ser encontradas nos sites de e-commerce Amazon e Alibaba. Por outro lado, as plataformas de compra Etsy e Ebay eram as mais utilizadas para o comércio ilegal: mais de 30 espécies eram achadas por lá. O preço dos animais varia entre US$ 2 e US$ 3.850.  

Borboletas da espécie Ornithoptera allottei foram os insetos mais caros encontrados à venda na internet. A Papilio chikae, outra borboleta rara e considerada em risco de extinção, também estava sendo comercializada ilegalmente. 

A Terra está perdendo cerca de 10% a 20% de todas as espécies de insetos a cada década. Esses animais já são ameaçados pela perda de habitat, pesticidas, urbanização, mudanças climáticas, entre outros fatores. O comércio ilegal representa um risco extra ao grupo.

O objetivo do estudo é mostrar as espécies disponíveis no e-commerce para que órgãos reguladores possam chegar aos culpados e barrar seus serviços. De acordo com os pesquisadores, o negócio pode movimentar bilhões de dólares na internet – mas seus custos para o meio ambiente são ainda mais altos.