Se smartwatches vão criar um futuro de gadgets além do smartphone, eles precisam melhorar bastante. Pesquisadores de Carnegie Mellon podem ter dado um passo nessa direção ao desenvolver uma interface de smartwatch que usa algo que normalmente fica bem perto das telas pequenas: o seu braço.

smart-skin

Chamado SkinTrack, a ideia vem em duas partes: uma pulseira carregada de eletrodos e um anel que emite um sinal de corrente alternada de alta frequência. Esse sinal se propaga através da tela, e a pulseira aproxima a sua localização. E assim a sua pele se torna uma interface. A tecnologia também funciona com roupas, e se você acha que anéis inteligentes grandes são ruins, a indústria da tecnologia discorda de você.

A tecnologia impressiona, mas a funcionalidade limitada mostrada no vídeo de demonstração não parece revolucionária como o potencial que ela tem. O melhor argumento da equipe de desenvolvimento é que as telas de smartwatches são pequenas demais para serem úteis. É verdade, mas elas dão espaço o suficiente para o uso de gestos no dispositivo, e é exatamente isso o que faz essa interface – por enquanto. Alguns gestos mais complexos e com o apoio de algumas novas aplicações podem fazer a SkinTrack ficar muito mais interessante.

De qualquer forma, se o próximo Apple Watch usar essa tecnologia, vou comprar apenas por curiosidade.