As empresas chinesas poderão participar do 5G brasileiro. O Brasil atendeu aos pedidos da China e não impedirá a participação de empresas do país asiático nas redes de internet móvel da próxima geração, de acordo com informações da CNN Brasil e da TV Globo.

De acordo com a CNN, as diretrizes do leilão do 5G serão publicadas em uma portaria no Diário Oficial da União ainda nessa sexta-feira (29). A Huawei e outras empresas chinesas poderão participar do processo desde que atendam os mesmos requisitos das empresas brasileiras listadas em bolsa de valores.

Além disso, a CNN Brasil também afirma que o leilão terá uma série de contra partidas, como melhorar a disponibilidade de fibra óptica nas regiões Norte, cobertura de internet móvel em todas as rodovias federais e 4G em todas as localidades com mais de 600 habitantes. O texto também prevê uma rede privativa segurança para a administração pública federal.

A reaproximação do Brasil com a China nas últimas semanas. O Brasil precisava de insumos para a produção de vacinas contra Covid-19. Após dificuldades diplomáticas, a China ajudou na exportação do produto.

As restrições à participação de empresas chinesas — principalmente a Huawei — no 5G foram capitaneadas nos últimos anos pelos EUA, que se envolveu em uma grande guerra comercial com a China, envolvendo sanções contra várias empresas, como a própria Huawei, o TikTok e, mais recentemente, a Xiaomi. Outros países, como o Reino Unido, a Austrália e o Japão, aderiram à medida. A alegação é de que os fornecedores chineses não são confiáveis e podem facilitar a espionagem do país asiático.

[CNN Brasil, TV Globo]