por Bruno Izidro

A geofísica é o estudo das propriedades físicas e de composição do interior da Terra. Normalmente ela está ligada a análises de terremotos, mas na história de Thomas Proença, pode também se confundir com Hadoukens, Shoryukens e Necalli. Isso porque, quando não está trabalhando como geofísico, ele está jogando Street Fighter V profissionalmente.

Street Fighter V tá tranquilo pra quem gosta de luta e favorável pra quem só quer se divertir
Um cara bateu o recorde mundial de Street Fighter V ao vencer 260 oponentes em sequência

Na cena competitiva de jogos de luta, muitos conhecem esse morador de Nova Iguaçu de 31 anos como Ibukiman, já que a ninja era o boneco principal dele em Street Fighter IV. Com a chegada de Street Fighter V, que não tinha a personagem logo no lançamento, ele passou a jogar de Necalli e decidiu mudar o apelido para Brolynho – uma junção do personagem Broly, de Dragon Ball Z, e do mascote do famoso refrigerante que virou meme de internet.

Independente de como é chamado, o fato é que Brolynho é considerado atualmente um dos melhores do país, tanto que ele é o único brasileiro que vai participar das finais do torneio oficial de Street Fighter V, a Capcom Cup, que acontecem agora em dezembro.

“Eu não gosto de falar que sou o melhor não”, fala Brolynho em entrevista ao Gizmodo Brasil. “Eu tenho ficado com o psicológico melhor atualmente e isso tem me adiantado muito nos campeonatos. Acho que isso tem feito bastante a diferença”.

E que diferença. Com os bons resultados durante o ano, em que chegou a ser campeão do torneio Fight in Rio, o brasileiro terminou a temporada como o primeiro colocado no ranking latino americano da Capcom Pro Tour, a liga oficial de Street Fighter V, o que deu a ele a vaga para a Capcom Cup.

Ranking

Brolynho está no cenário de competições desde 2012, na época do Super Street Fighter IV: Arcade Edition, e o mais irônico é que ele começou a jogar por pura birra.  “Eu falava que Street Fighter era só hadouken e shoryuken, mas um amigo me ganhava direto [no Street Fighter IV], então decidi comprar um PlayStation 3 pra treinar”, relembra.

Aos poucos ele foi tomando gosto e percebendo que o jogo de luta da Capcom era muito mais do que só apertar botões para soltar magia e, com o espirito competitivo que tem, logo começou a disputar campeonatos. Porém, é só agora em 2016 que Brolynho está vivendo seu melhor momento. Ele parece ter se adaptado bem à transição de Street Fighter IV para o V e o seu Necalli vem surpreendendo muita gente, inclusive o melhor jogador do mundo.

Vencendo o melhor do mundo

Se há alguém a ser batido no cenário de competições de Street Fighter, esse alguém é o sul-coreano Seonwoo Lee, o Infiltration, que venceu a maioria dos torneios que participou esse ano e é o atual campeão do Evolution, o EVO, mais conhecido e famoso torneio de jogos de luta do mundo. Poucos podem dizer que conseguiram vencer Infiltration esse ano. Brolynho é um deles.

Isso aconteceu no começo de outubro, no torneio Brooklyn Beatdown da ESL ONE, em Nova York. O brasileiro venceu Infiltration com um convincente 2 a 0 e sem perder nenhum round.

A luta foi o clássico caso do jogador desconhecido que surpreende a todos. “Ele não tava preparado pra mim, porque não sabia quem eu era”, fala Brolynho. “Ele achava que era só mais um Necalli e acabou sendo pego de surpresa”. Por conta disso, o brasileiro diz que a luta foi até fácil, no final das contas. “Quando acabou a primeira luta, eu pedi um tempo pra beber água e pensar o que ele poderia mudar [no jogo dele], porque certamente ele mudaria, o que aconteceu, mas não foi o bastante”, relembra.

Brolynho ficou entre os oito melhores no Brooklyn Beatdown e esse resultado, ainda mais conseguindo uma vitória tão expressiva em cima do atual campeão do EVO, foi mais do que o suficiente para ele começar a ser notado e reconhecido como mais um bom jogador de Street Fighter vindo do Brasil, ao lado de Keoma. Não foi à toa que, logo depois, o brasileiro virou um atleta da Flipsid3 Tactics, a F3, uma organização profissional de eSports americana.

brolynho

Brolynho certamente está em sua melhor fase como jogador de Street Fighter, e ele ainda consegue isso sem atrapalhar seu trabalho como geofísico. Aliás, a geofísica e o jogo sempre andaram lado a lado na vida dele. Brolynho fala que, um mês depois que participou do primeiro torneio de Street Fighter, lá em 2012, ele começou a trabalhar como geofísico. “Eu tenho meu tempo de jogo e meu tempo de trabalho”, fala.

Agora, prestes a participar do maior e mais importante torneio de sua vida, Brolynho se diz tranquilo. “Eu não tenho que ganhar nada, é só chegar lá e jogar. Óbvio que vou fazer o meu melhor, mas se eu ficar em 32º tá bom”, fala. Depois de tudo isso que aconteceu com ele até aqui, é bem difícil que ele fique entre os últimos no torneio.

A Capcom Cup vai acontecer nos dias 2 e 3 de dezembro, dentro do evento PlayStation Experience, nos EUA e todas as partidas serão transmitidas ao vivo no canal da Capcom no Twitch.