Amantes de cachorro não precisam de evidências científicas de que seus cachorros são bons garotos. Mas, para os monstros sem coração que não sabem disso, existe um novo estudo, publicado nesta segunda-feira (23) no periódico Learning and Behavior, que mostra isso. Ele sugere que muitos cachorros correriam para confortar seus donos se eles considerassem que eles estivessem em uma situação difícil.

Um cachorro sabe se ele é um bom garoto?
Um cachorro consegue entender cães e humanos de outro país?

Que os cachorros são especialistas em ler nossos sinais sociais, não é nenhum segredo. Pesquisas anteriores já mostraram que cachorros notam e prestam mais atenção em pessoas que estão chorando, mesmo se elas não são os seus donos. Mas, apesar de muitos casos sobre isso, aparentemente não havia estudos empíricos para entender como os cachorros se predispõem a ajudar quando percebem que os humanos estão sofrendo — pelo menos até agora.

Os pesquisadores por trás desse estudo (intitulado “Timmy’s in the well: Empathy and prosocial helping in dogs”, em referência ao herói canino das telas Lassie) recrutaram 34 cachorros e seus donos para um experimento social, baseado em um método usado para estudar a empatia em ratos. Cachorros grandes e pequenos, incluindo pugs, corgis e vira-latas, foram usados para o experimento. Metade dos cachorros foi treinada como cães-terapeutas, enquanto a outra metade era formada por cachorros domésticos convencionais.

Com os cachorros entrando em uma sala vazia, eles veriam e ouviriam o dono por trás de uma porta de vidro. Essa porta de vidro estava fechada por meio de ímãs, então poderia ser aberta com um empurrão. Os donos dos cães ou choravam ou cantavam a música ‘Twinkle, Twikle Little Star” (Brilha brilha estrelinha), o que demonstrava um comportamento neutro. Os níveis de estresse dos cachorros — medidos por meio de batimentos cardíacos e mudanças de comportamento — também foram monitorados durante o experimento. Posteriormente, a ligação emocional com os donos foi testada com uma tarefa que exigia separar o pet do dono.

Os pesquisadores teorizaram que os cachorros abririam a porta com mais frequência e mais rápido quando eles vissem o dono chorar.

Cerca de metade dos cachorros abriu a porta quando viram seus donos, independentemente da situação. Mas, embora muitos cachorros não tenham aberto a porta de primeira, eles respondiam rápido quando os donos choravam. Em média, eles abriram a porta três vezes mais rápido que cachorros que o fizeram em condição neutra. Quanto mais forte os laços emocionais com o dono, pelo menos de acordo com o teste posterior por que os cachorros passaram, maior a probabilidade de eles irem até o dono com pressa. O estudo aponta que os donos apenas estavam fingindo chorar, e alguns donos “eram mais convincentes que outros na tarefa”.

“Concluímos que os cachorros não só detectam os sentimentos dos donos, mas que, se um cachorro sabe como ajudá-los, ele enfrentará barreiras para poder fazê-lo”, disse Emily Sanford, autora principal do estudo e que também é estudante na escola de artes e ciência na Universidae Johns Hopkins, em um comunicado.

No teste, alguns cachorros não abriram a porta de vidro ao verem seus donos chorarem, porém, isso não significa que eles são maus garotos. Os níveis de estresse eram notadamente maiores na média que os daqueles que abriram a porta durante o choro, sugerindo que eles poderiam estar tão ansiosos ou transtornados pelo mal-estar dos seus donos que não conseguiam reagir de forma apropriada. “Os que abriram a porta conseguiram superar sua própria resposta de socorro, permitindo que eles abrissem a porta mais rapidamente”, especulam os autores.

De qualquer jeito, é só mais uma evidência da bondade que permeia todos os cachorros. “Nossas descobertas reforçam a ideia e mostram que, como a Lassie, os cachorros sabem quando seus donos estão com problemas e vão fazer o que puderem para entrar em ação”, disse Sanford.

Imagem do topo: Pixabay