Durante o ano passado, a Nikon substituiu suas duas DSLRs básicas pelas D3200 e D5200. Agora chega a nova D7100 para atualizar a linha intermediária, substituindo a antiga D7000 de três anos atrás.

A D7100 é a melhor câmera que a Nikon oferece com sensor APS-C; as outras são profissionais full-frame (formato FX) e custam US$ 1.000 a mais. Felizmente, a D7100 possui um monte de funcionalidades vindas dessa linha mais cara.

Assim como na D3200 e D5200, o sensor APS-C da D7100 agora tem 24 megapixels de resolução. Mas não é o mesmo sensor: este foi projetado sem o filtro passa-baixa (low-pass filter), que ajuda a eliminar distorções de cor e a interferência moiré. Bem, a Nikon diz que melhorou o sensor a tal ponto que esse filtro não é mais necessário – mas só testes poderão revelar se isso é mesmo verdade.

Tal qual os modelos DX mais baratos (com sensor APS-C), a maior sensibilidade da D7100 é de ISO 6400. Isso é bom o suficiente para obter boas fotos em situações escuras, ou objetos bem iluminados em movimento rápido.

nikon-d7100b

Entre as outras novidades, temos o novo sistema de foco automático de 51 pontos. Ele está reservado a poucas câmeras da Nikon, como a ótima D800 que custa US$ 3.000. Nem mesmo a D600 full-frame, que custa US$ 2.100, tem o novo sistema de 51 pontos. A D7100 é também a DSLR mais barata a oferecer vídeo sem compressão através de HDMI – esta foi uma das características da D800 mais comentadas quando ela foi lançada no ano passado.

Na verdade, a D7100 promete muito no que se trata de vídeo: ela tem microfones estéreo embutidos, mais uma entrada 3,5 mm para microfone e uma saída de fone de ouvido para monitoramento. Pelo preço da D7100, você não consegue encontrar uma câmera com todos os três. Os padrões de gravação da câmera, no entanto, são bem comuns: ela grava vídeo MPEG-4 de 1920 x 1080 a 24, 25 e 30 fps. Você também pode chegar até a 60 quadros, mas em 1080i.

Em modo de disparo contínuo, a D7100 chega a 6 fotos por segundo, enquanto a D5200 só consegue 5 fps. Se você usar o modo recém-adicionado de crop 1,3x, você chega a até 7 fps. A Nikon até trocou a mira da câmera por uma OLED, atualizando a pequena tela que mostra as definições da foto. Ele é visivelmente mais fácil de ler do que os antigos borrões verdes LCD que costumavam estar lá.

E a Nikon fez alguns ajustes na interface e manuseio da câmera, incluindo uma tela de alta resolução com 3,2 polegadas que deve ser mais fácil de usar. Um botão de controle “I” foi adicionado à parte de trás, para acessar rapidamente as configurações comuns.

Isso tudo soa fantástico, mas o maior problema é que, apesar de haver muitas funções desejáveis na D7100, não há uma que seja atraente o bastante para fechar negócio. Ela custa US$ 1.200 só pelo corpo sem lente: a Nikon está pedindo muito de pessoas para as quais o preço importa bastante.

A câmera está acima dos US$ 1.000 que se considera um limite para DSLRs “baratas”, e também é US$ 400 mais cara que a D5200. Será que as funções extras valem US$ 400, já que ela tem basicamente o mesmo sensor de imagem das câmeras mais baratas na linha? Teremos que esperar para ver: a D7100 chega ao mercado americano no mês que vem. [Nikon EUA]

Nikon D7100

  • Preço: US$ 1.200 só corpo (US$ 1.600 com lente kit 18-105mm)
  • Sensor: 24,1 megapixels, APS-C (23,5 x 15,6 milímetros )
  • ISO máximo: 6400 (25000 expandido)
  • Vídeo: 1920 x 1080 24/25/30/50i/60i
  • Modo contínuo: 6 quadros por segundo em resolução máxima (7 fps com crop 1,3 x)
  • Tela: LCD de 3,2 polegadas com 1,229 milhões de pontos
  • Dimensões: 135, 5 mm x 106,5 mm x 76 mm
  • Peso: 675g (sem lente)