Câmeras DSLR e mirrorless se tornaram ferramentas populares para os youtubers que querem vídeos mais profissionais. Quem não tem muita experiência com elas, no entanto, pode acabar se complicando com tantas funções e recursos. A nova ZV-1 da Sony quer achatar a curva de aprendizado. Ela tem recursos simplificados e intuitivos, que prometem facilitar a vida de quem quer virar uma estrela do YouTube.

A ZV-1 foi construída com base na linha compacta RX100 da empresa, que, por sua vez, foi atualizada com recursos aprimorados de gravação de vídeo no ano passado. A nova câmera inclui o sensor de imagem CMOS de 20,1 megapixels da RX100 VII e uma lente de zoom 24-70mm f/1.8-2.8, que não pode ser substituída.



O corpo do RX100 também foi modificado para incluir uma pegador maior de um lado, uma tela de três polegadas que também pode ser virada para o lado, facilitando quem quer ver sua própria imagem. A câmera também tem um LED que mostra quando o equipamento está gravando e um botão de gravação maior na parte superior da câmera para facilitar o acesso.

O equipamento também conta com estabilização óptica e eletrônica de imagem e um corpo mais leve, o que deve dissipar melhor o calor. Mesmo ao gravar vídeo em 4K, o único limite da câmera é o tamanho do seu cartão SD.

Não há visor nem flash pop-up na Sony ZV-1; eles foram substituídos por um microfone estéreo direcional de três cápsulas com redução de ruído, o que deve ser mais útil para os videomakers. Também há protetor contra o vento opcional. Microfones externos podem ser conectados através de uma entrada de 3,5 milímetros.

O que parece não estar incluído é a opção de conectar microfones sem fio via Bluetooth, que estão se tornando cada vez mais populares como uma maneira mais barata e fácil de gravar alguém em um ambiente barulhento, como caminhar por um centro de convenções lotado.

No entanto, o maior apelo da nova Sony ZV-1 para amadores são suas habilidades de captura automática. Um botão personalizável vem pré-programado como atalho para bokeh: uma maneira fácil de desfocar o fundo, abrindo a abertura da lente e compensando automaticamente a exposição, além de ajustar outras configurações, como ISO, ou ativar um filtro de densidade neutra por software.

O foco automático em tempo real, algo que a Sony vem fazendo muito bem há algum tempo, usa o rastreamento ocular para garantir não apenas as pessoas na câmera sempre focadas, mas também tenham uma iluminação adequada.

Um algoritmo de exposição com prioridade ao rosto garante que, ao passar de áreas claras para escuras, como entrar em um prédio, o rosto do sujeito não desapareça nas sombras ou fique estourado quando a iluminação é muito intensa.

A ZV-1 tem apelo até os influenciadores que passam seu tempo no YouTube fazendo análises de unboxing ou de produtos. Esse pessoal geralmente tem problemas com o foco automático das câmeras, que é programado para priorizar rostos. A câmera da Sony tem um botão que ativa a “Configuração da Exibição de Produto”, que muda a prioridade do foco para o objeto que está diante da lente, mesmo se um rosto ainda estiver visível no fundo. Quando o botão é solto, a câmera muda rapidamente o foco de volta para a pessoa.

A câmera está prevista para chegar às lojas em meados de junho, com um preço de US$ 800, que é US$ 400 mais barato que o Sony RX100 VII. Por um valor extra de US$ 150, o Sony ZV-1 também pode ser atualizado com cartão de memória de 64 GB e um pegador/mini-tripé que se conecta à câmera via Bluetooth e inclui um conjunto extra de controles de disparo.