A série de câmeras Rebel, da Canon, sempre foi uma escolha acertada para aqueles que procuram uma boa DSLR de entrada. Sendo assim, quando a última atualização, a Rebel T4i, chegou ao nosso escritório, abrimos a caixa e imediatamente começamos a brincar com todos os seus novos recursos.

A qualidade de imagem da T4i é ótima, mas não muito diferente do que você conseguia com o modelo do ano passado, a T3i, com exceção de um pouco menos de ruído em ISOs mais altas. E dos meus testes iniciais, o desempenho com pouca iluminação parece bater de frente com a da minha 7D. No fim das conta, as fotos serão familliares caso você tenha uma DSLR da Canon recente.

Mas as características marcantes da T4i, cosméticas como elas são, são surpreendentes: a tela sensível a toques (a primeira em uma DSLR da Canon) e o foco automático contínuo na gravação de vídeos.

A touchscreen, em especial, é uma atualização bem-vinda. O movimento do seu dedo para acessar os itens do menu é bem mais intuitivo do que ficar rolando por menus, principalmente se você já estiver à vontade com o design de interface da Canon.

Interessado por vídeos como sou, estava empolgado com o foco automático no modo vídeo com as novas lentes STM da T4i, como a de 40mm f/2,8. Ele não é perfeito, mas definitivamente utilizável para vídeos casuais e uma melhora incrível na facilidade de uso versus briga constante com o foco manual, que nunca te dá a certeza de que o objeto está completamente focado. Ah, e aquelas lentes de 40 mm são simplesmente adoráveis, sem falar na definição e responsividade. Você pode colocar no bolso essa lente facilmente.

Para testar a qualidade do vídeo, pegamos três câmeras e filmamos a mesma cena ao mesmo tempo. Os preços dessas câmeras, lá fora, variam de US$ 1.000 a 1.700. São elas, todas da Canon: Rebel T4i, 5D Mark III e 1DX.

As filmagens foram feitas com as mesmas lentes (Canon 24-105 f/4) e configurações (f/9, 1/50, ISO 100). Usamos um estilo de imagem com definição em 0, contraste em 0 e saturação em -2. Ajustamos a distância focal no sensor da T3i para bater com os das outras duas câmeras. Obviamente não é um teste completamente científico, mas nos esforçamos para fazer o melhor.

Em tela cheia, a diferença entre as três é bem sutil. Mas quando você aproxima um pouco a imagem, a primeira coisa que salta à vista são os terríveis padrões mais ondulados da filmagem da T4i. No geral a DX1 se saiu melhor, seguida pela 5D Mark III e, por último, a T4i.

Ainda fizemos uma pós-produção com o Photoshop CS6, com a adição de um efeito de nitidez (Sharpen) de 55. As mudanças ficaram claras a partir de um crop de 350%. A 5D Mark III perdeu muitos detalhes e exibiu muito mais ruído que a 1DX; a T4i também piorou bastante. Melhor deixar quieto…

Sharpen com crop de 350%.

No geral, é isso o que se destacou mais até agora na Canon Rebel T4i. Lembre-se de que essa é mais uma melhoria incremental do que uma atualização grandiosa, mas ainda assim uma melhoria bem-vinda.