Um homem de 64 anos que perdeu seu pênis por causa de um câncer foi o receptor de um pênis transplantado nos Estados Unidos. O procedimento experimental poderá ajudar milhares de homens que perderam seus genitais devido a doenças ou acidentes.

>>> Contemple o mais completo transplante de rosto já feito na história da medicina

Thomas Manning, que trabalha com entregas bancárias em Massachussets, é o primeiro homem dos Estados Unidos a receber um transplante de reconstrução genito-urinária. O procedimento de 15 horas, que envolveu 12 cirurgiões e mais 30 profissionais de saúde, ocorreu nos dias 8 e 9 de maio no Hospital Geral de Massachusetts, em Boston. Manning está se recuperando no hospital e passa bem. O órgão foi recebido de um doador morto.

Para o procedimento, a equipe cirúrgica, liderada pelo cirurgião Curtis L. Cetrulo, enxertou estruturas neurais e complexos vasculares microscópicos do pênis doado nas estruturas equivalentes de Manning. O fluxo sanguíneo está normal, e não há sinais de sangramento, rejeição ou infecção. Se tudo ocorrer como planejado, Manning deve poder urinar normalmente em algumas semanas, e a possibilidade de fazer sexo estará liberada em alguns meses.

“Esperamos que todas essas técnicas de reconstrução permita que nós aliviemos o sofrimento e desespero daqueles que tiveram lesões genito-urinárias, e que frequentemente se desanimam e consideram até suicídio”, disse Cetrulo em um comunicado. “Toda a equipe do transplante trabalhou incansavelmente para assegurar que nosso paciente se recupere, graças em parte ao dom da doação de órgãos.”

De fato, homens que perdem sua genitália sentem que uma parte crítica de sua identidade e virilidade foram perdidas.

“Quero voltar a ser o que era antes”, disse Manning ao New York Times. “Não poderia ter uma relação com ninguém. Você não pode dizer a uma mulher: ‘eu tive uma amputação peniana’”.

Cirurgia foi pensada para militares incapacitados

Manning ficou bem feliz ao falar sobre o procedimento sem precedentes, e ele espera que isso auxilie na redução da vergonha e estigma associado com lesões causadas por câncer na genitália. Além disso, ele tem a expectativa que esta nova cirurgia dê esperança a outros homens com problemas similares.

A cirurgia — que levou três anos para ser desenvolvida — é parte de uma programa de pesquisa colaborativa para ajudar veteranos de guerra com lesões graves pélvicas. De 2001 a 2013, mais de 1.300 militares norte-americanos sofreram danos genito-urinários (como eles costumam chamar) geralmente causada por artefatos explosivos improvisados. O transplante de pênis também pode ser feito em pacientes que perderam a genitália por causa de acidentes ou doenças.

A cirurgia custou algo entre US$ 50.000 e US$ 75.000 e está sendo bancada pelo Hospital Geral de Massachusetts e pela Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins, que planeja fazer procedimentos cirúrgicos como esse no futuro.

Houve apenas outras duas tentativas de transplante peniano — uma feita na China em 2006 que deu errado , e uma em 2014, na África do Sul, que foi um sucesso. O homem, inclusive, conseguiu engravidar sua esposa.

Manning disse que está bem e não está sentindo dor.

“Com sorte, serei 75% do que eu era”, disse ele ao NYT. “Antes da cirurgia eu era 10%. Porém, eles [os médicos] não fizeram promessas. Isso foi parte de nosso acordo.”

[New York Times, Massachusetts General Hospital]

Foto do topo. Thomas Manning, o primeiro homem a receber um transplante peniano nos EUA. Crédito.Hospital Geral de Massachusetts.