A Organização das Nações Unidas (ONU) acaba de lançar uma ferramenta que ajudará a mapear inundações no mundo todo. A interface permite que os usuários ajudem a identificar problemas na resposta de autoridades a alagamentos, e a auxiliar no desenvolvimento de melhorias. A novidade indica, como por exemplo, qual local é seguro para construir, que pontos poderiam receber infraestrutura nas cidades ou o desenvolvimento de atividades na agricultura. 

Batizada ‘Flood Mapping Tool’, a ferramenta foi desenvolvida pelo Instituto de Água, Meio Ambiente e Saúde da Universidade das Nações Unidas em Hamilton (UNU-INWEH, sigla em inglês), no Canadá. O projeto tem apoio da Google, MapBox e outras empresas.

Qualquer pessoa pode utilizá-la. Basta clicar no painel de opções, ir para a opção ‘Selecionar país’. Em seguida, aparecerá um mapa. Clique para selecionar a área de interesse.

A cor das bordas da célula selecionada mudará de preto para branco. A partir disso, no painel de opções, selecione a data de início e a data de término para definir a duração do evento de inundação. Ao lado, clique em ‘Atualizar mapa’ para visualizar as áreas inundadas.

Vladimir Smakhtin, diretor da UNU-INWEH, explicou que as inundações na última década impactaram a vida de mais de meio bilhão de pessoas, principalmente em países de renda baixa e média, e resultaram em danos de quase US$ 500 bilhões. 

O Brasil está na lista de países com um histórico amplo de enchentes. Entre os fatores que podem explicar o evento estão o fato de sermos um país tropical (e com temporadas de chuvas intensas), as alterações climáticas causadas pelo homem e a falta de planejamento habitacional em áreas urbanas. 

Smakhtin diz exatamente isso. Segundo ele, a ideia é preparar o mundo para inundações mais intensas e frequentes causadas pelas mudanças climáticas. “Esperamos que esta ferramenta possa ajudar as nações em desenvolvimento a enxergar e mitigar os riscos de forma mais clara.”

Tecnologia como parceira ambiental 

Há muito tempo essas ferramentas estão presentes para ajudar a monitorar o clima. Quem marca uma viagem, por exemplo, costuma correr para o aplicativo para saber se irá chover ou fazer sol. 

Contudo, com o avanço da crise climática, outras necessidades estão surgindo. Na última semana, o Google anunciou uma ferramenta que indicará focos de incêndios florestais, melhores rotas de fuga e regiões seguras para estadia. 

Interfaces que funcionam como ‘radar’ de desastres ambientais podem ajudar órgãos como a Defesa Civil, bombeiros e entidades competentes no caso de catástrofes. 

O chefe do centro de análise e previsão do tempo do INMET, Instituto Nacional de Meteorologia, Luiz Cavalcanti, explicou à Rádio Câmara que o tragédias de grande porte acontecem, apesar de sabermos de antemão que chuvas muito intensas vão atingir certas áreas, porque essas regiões que jamais deveriam ser ocupadas pela população. 

Cavalcanti disse que “essas são áreas muito vulneráveis a um volume de chuva intenso — que já aconteceu no passado, está acontecendo no presente e vai acontecer no futuro.”

Reduzir esses impactos com políticas de desenvolvimento e tecnologias é a saída, de acordo com Duminda Perera, colaboradora do projeto da da UNU-INWEH. “Pintar uma imagem detalhada das áreas históricas e potenciais de risco de inundação será inestimável para qualquer departamento de planejamento urbano e regional.”

A Flood Mapping Tool permite que governos, agências de financiamento e autoridades de gestão de desastres se concentrem nos locais de maior risco potencial de inundações no futuro. Isso pode ajudar a direcionar os investimentos de infraestrutura pública e reduzir custos.  

Outras funções da ferramenta incluem:

  • Resolução aprimorada de mapas de inundação, permitindo a análise em nível municipal;
  • Foco no hemisfério sul, onde as lacunas de dados e informações são proeminentes e as perdas anuais devido a enchentes são altas;
  • Maior precisão dos mapas de inundação usando dados de sensores de satélite;
  • Maior precisão e menor tempo de desenvolvimento de mapas de risco de inundação usando modelos de Inteligência Artificial. 
  • Assine a newsletter do Gizmodo

Ferramentas que podem ajudar em caso de desastres

Disaster alert 

A interface possibilita que os usuários localizem no mapa as áreas com possíveis incidências naturais como furacões, queimadas, tsunamis, tempestades, enchentes, terremotos e mais.

Primeiros Socorros, de Drauzio Varella

O aplicativo auxilia em situações emergenciais como acidentes, deslizamentos e coisas corriqueiras. A ferramenta conta com dicas de primeiros socorros até a chegada do resgate. 

Weather Update

Essa interface funciona como o famoso app “Waze”, só que com informações sobre o tempo.  É quase que uma rede social do clima. Cada pessoa, em sua determinada região, compartilha fotos, informações sobre o tempo. Além de poder interagir com radar via satélite.

Localização de Confiança 

O aplicativo permite compartilhar a localização do usuário com alguns contatos escolhidos. Em situações de emergência, como ventanias, deslizamentos, enchentes, a ferramenta auxilia na localização de pessoas desaparecidas, mesmo que o celular esteja sem bateria ou o usuário esteja offline, a última localização é enviada em tempo real. 

[EurekAlert!]