Se você está sempre fora de casa, mas quer acesso aos arquivos do seu computador que está dentro dela, uma das melhores soluções é configurar o tal computador como um servidor de mídia acessível remotamente. Vamos ver neste post não apenas como acessar os seus arquivos (e controlar o seu computador) remotamente, mas também como compartilhar arquivos com outros, fazer streaming de música e vídeo, acessar a sua coleção de fotos e muito mais.

Quando você terminar de aplicar as dicas que daremos abaixo, será capaz de acessar remotamente a mídia do seu computador, seja ele Windows, Mac ou Linux, a partir de qualquer outro computador, smartphone ou tablet, além de controlá-lo como se estivesse na frente dele.

Antes de começar, vamos repassar a lista de coisas que você vai precisar:

* Um computador que seja pelo menos tão rápido quanto um netbook ou nettop, mas de preferência melhor do que isso. Se você vai só servir os arquivos, até um Pogoplug serve.

* Conexão de internet com taxa de upload decente (1mbps funciona, mas 5mbps é ideal).

* Um roteador com capacidade de redirecionamento de portas – ou seja, praticamente qualquer roteador.

* Alguns softwares, que variam por plataforma e serão listados adiante.

Tendo essas coisas, você está pronto para começar. Primeiro, vamos dar uma olhada nos recursos básicos que você quer de um media server. Depois, veremos coisas mais bacanas e avançadas, como fazer streaming de vídeo e música, hospedar as suas fotos, entre outras coisas legais que tornarão o seu servidor ótimo.

Compartilhamento de tela e acesso básico aos arquivos

As coisas mais avançadas que veremos à frente são as que você vai usar com mais frequência, provavelmente, mas primeiro precisamos ter certeza que você tem acesso e controle irrestrito do seu servidor à distância. Configurar controle remoto, ou compartilhamento de tela, significa que você poderá controlar o seu computador remotamente a partir de qualquer aparelho, como se estivesse sentado na frente dele. Isso permite alterar configurações, iniciar um download ou fazer qualquer coisa que você precisar.

Frequentemente, os serviços não vão funcionar perfeitamente, ou acontecerá algum probleminha que você provavelmente conseguirá resolver com facilidade via SSH ou compartilhamento de tela (VNC). Você também vai precisar ter acesso básico aos seus arquivos, então aprenderemos a configurar FTP (e outros protocolos), assim como configurar o seu roteador para facilitar o acesso remoto.

Windows

Alguns serviços de compartilhamento estão disponíveis no Windows por padrão, e tudo que você precisa fazer é ligá-los. Outros exigem alguns downloads. De qualquer modo, configurar compartilhamento de tela e acesso básico aos arquivos é bem fácil de fazer na maior parte dos casos. Vamos lá:

VNC (compartilhamento de tela)
O Windows tem, automaticamente, um RDP (Remote Desktop Protocol), mas nós preferimos o VNC por ser um protocolo independente de plataformas, o que significa que ele é mais compatível com outros sistemas operacionais. Há muitos servidores de VNC para escolher, mas vamos com o TightVNC por dois motivos: ele é completamente gratuito e bastante simples de usar. Para mais detalhes sobre como funciona o VNC, veja este post. Se você entende o básico da lógica cliente-servidor do VNC, pode pular a leitura e começar a seguir as instruções de configuração abaixo:

1. Baixe o TightVNC, instale, abra. (Nota: se você quiser instalá-lo como um serviço, de modo que você possa rodá-lo mesmo que nenhum usuário esteja logado, vá para Menu Iniciar > Programas > TightVNC > Administration > Install VNC Service.)

2. Com o TightVNC aberto, você poderá se conectar por VNC e se logar como qualquer usuário já configurado do Windows. Se você quiser uma senha global, pode habilitar isso em Iniciar > Programas > TightVNC > Administration > Show Default Settings.

3. Quando você quiser conectar o seu servidor VNC a partir de outra máquina, pode fazer isso instalando o TightVNC, abrindo o aplicativo TightVNC Viewer e colocando o endereço IP da máquina que com a qual você quer se conectar – no caso, a sua máquina servidora. (Para aprender mais sobre outros recursos do TightVNC e como usá-los, veja o seu guia de usuário.)

Nota: Você pode usar o Hamachi para ter mais segurança na sua conexão VNC, encriptando sua sessão de compartilhamento de tela para que olhos à espreita não consigam ver o que você está fazendo.

Acesso ao sistema de arquivos com FTP, SFTP e SSH
Seguindo, vamos habilitar o compartilhamento de arquivos. Começando pelo FTP. Você também pode habilitar o FTP como um serviço no Windows, mas isso está muito complexo desde o Windows Vista, e também no 7, então vamos usar uma ferramenta gratuita chamada freeFTPd. Se você quiser configurar SSH para fazer uma conexão através dele e se conectar via SFTP (FTP Seguro) para ter mais segurança, o mesmo site tem um servidor SSH gratuito chamado freeSSHd, que você pode baixar também.

1. Baixe e instale o software de servidor que você preferir, depois escolha rodá-lo como um serviço de sistema, para que não seja necessário o login para acessá-lo.

2. Com a ferramenta instalada, abra-a. Clique com o botão direito no ícone dela que aparecerá no tray e escolha Settings.

3. No painel Settings, você um punhado de abas. A que você está procurando é a Users. Clique nela, depois em Add para adicionar um usuário.

4. Coloque um username e uma senha para o usuário que você quer adicionar e marque a caixinha que diz “Shell”. Se você está configurando freeSSHd e quer usar SFTP, marque também a caixa que diz SFTP. Clique em OK.

5. Se você quiser acessar seus arquivos via FTP ou SFTP remotamente, precisará de algum aplicativo que entenda estes protocolos. O nosso favorito atual é o Cyberduck. Para se conectar ao seu servidor remotamente via SSH, no Windows, você pode usar o PuTTY.

Acesso aos arquivos com Windows File Sharing (SMB)
Entre todos os modos de acesso remoto aos seus arquivos, o SMB é o mais fácil de configurar. Você provavelmente até já habilitou isso durante a instalação do Windows. Se não, veja aqui como fazer isso (no Windows 7 ou Vista):

1. Encontre a pasta que você quer compartilhar e clique nela com o botão direito. Escolha a opção de compartilhar com pessoas específicas.

2. Escolha “Todos” no menu e clique no botão “Adicionar”.

3. A não quer você queira acesso apenas para leitura, clique em “Leitura” e mude para “Leitura/Escrita”.

4. Clique no botão “Compartilhar” para habilitar o compartilhamento daquela pasta.

Isso é tudo que você vai precisar saber para habilitar esse serviço de compartilhamento básico no seu Windows, mas com este método você só conseguirá acessar suas pastas a partir de outra máquina na mesma rede doméstica. Se quiser acesso remoto, você terá que redirecionar portas do seu roteador ou configurar um VPN. Falaremos sobre isso adiante, na seção Configurando Seu Roteador, mas primeiro veremos algumas opções mais empolgantes para fazer streaming e compartilhamento dos seus arquivos de mídia.

Mac OS X

Configurar qualquer tipo de acesso remoto no Mac OS X é muito fácil e não envolve muito mais do que marcar algumas opções em alguns menus do sistema. É isso que você precisa fazer:

* Abra as Preferência de Sistema (se não estiver no Dock, você encontra isso na pasta de Aplicativos).

* Em Internet & Sem Fios, escolha Compartilhamento.

* No lado esquerdo, você deverá ver uma lista de serviços. Marque a caixa ao lado de Compartilhamento de Tela, depois clique no botão Configurações do Computador e marque a opção que diz que quem estiver conectado via VNC pode controlar a tela com uma senha. Defina uma senha de sua preferência e clique em OK.

* O próximo passo é habilitar alguma espécie de compartilhamento de arquivos. Independente da forma como você pretende compartilhar os seus arquivos, vai precisar marcar a caixa ao lado de Compartilhamento de Arquivos, depois clicar no botão Opções. Isso vai chamar um painel que permitirá a escolha de diferentes formas de compartilhamento. Por padrão, a opção AFP (Apple Filing Protocol) estará ativada. Você também pode habilitar FTP, que é o método mais compatível de acessar os seus arquivos a partir de qualquer computador, (apesar de não ser o mais seguro), assim SMB (Server Message Block, que é mais compatível com Windows e Linux do que o AFP). O SMB precisa ser habilitado para cada usuário diferente a que você quer ter acesso. Feito tudo, confirme as alterações.

* Se você quer um modo mais seguro do que FTP para acessar seus arquivos, pode marcar a opção Login Remoto para habilitar o SSH. Isso te permitirá acessar o seu computador pela linha de comando usando SSH, o que te dará controle remoto sobre praticamente tudo, além de te permitir acessar o s seus arquivos via SFTP (FTP Seguro).

* Por último, se você quiser habilitar qualquer serviço de compartilhamento adicional, faça isso agora. Mas anote quais são, já que depois você terá que redirecionar as portas do roteador de acordo.

Nota: As instruções acima se referem ao Mac OS X 10.6 e podem variar entre grandes atualizações do sistema. Por exemplo, Compartilhamento de Tela só está disponível na versões 10.5 ou mais atuais. No passado, habilitar o VNC era feito na seção Desktop Remoto Apple. Além de marcar a caixa ao lado dessa seção, também era necessário clicar no botão Privilégios de Acesso, marcar a opção sobre ser possível controlar a tela via VNC com uma senha, e digitar a senha. Se você está usando uma versão mais antiga do Mac OS X, use estas instruções para habilitar o VNC.

Isso é tudo que você precisa saber para habilitar estes serviços básicos de compartilhamento no seu Mac, mas com isso você só terá acesso aos seus arquivos a partir de outros computadores na mesma rede doméstica. Se você quiser habilitar o acesso remoto, vai precisar redirecionar as portas do seu roteador ou configurar um VPN (Virtual Private Network). Já chegaremos lá.

Linux

Se você está rodando Linux, provavelmente já sabe como configurar todos estes serviços básicos de compartilhamento. O processo também difere entre os diversos sabores do Linux. Por estes motivos, não vamos explicar em detalhes neste post como fazer isso em Linux. Se você está começando no mundo do Linux e não está muito seguro, vale a pena acompanhar esta série de posts do Lifehacker (principalmente a aula sobre como instalar aplicativos).

BÔNUS! Você pode desabilitar o sleep no seu servidor de mídia, se quiser, mas também pode conservar um pouco de energia e permitir que ele repouse de vez em quando. basta configurá-lo para acordar com LAN. Não sabe como fazer? Aqui você aprende.

Fazendo streaming e compartilhamento de mídia

Há muitas e muitas maneiras de acessar a sua mídia remotamente depois que todo o resto estiver configurado de acordo, mas uma das mais poderosas e versáteis é o Opera Unite, um recurso presente nas novas versões do navegador Opera. Por ser baseado no navegador, esse método funciona independente de sistemas operacionais. Ele lida com as suas fotos, músicas e vídeos, e pode até compartilhar a sua webcam e hospedar um servidor web.

Algumas alternativas que funcionam em todas as plataformas você pode encontrar neste e neste posts do Lifehacker.

Alternativas para o Mac OS X

Faz tempo que o AirVideo é a nossa opção favorita para fazer streaming de vídeo de desktop para um iOS, mas agora o StreamToMe virou a minha primeira opção por dois motivos. Primeiro, ele permite que você transmita sua mídia também para Macs, além de aparelhos iOS (e de Mac para Mac isso não custa nada). Segundo, com ele você também pode transmitir áudio, além de vídeo. Espere alguns soluços ocasionais, comuns a qualquer solução de streaming, mas apesar disso ele funciona fenomenalmente em qualquer velocidade de conexão. Se você é Apple-cêntrico, considere o uso do StreamToMe.

 

Configurando seu roteador

Se você chegou até aqui, já conseguiu configurar o seu servidor de mídia para acesso local. Mas, como já foi dito, se você quiser acessar remotamente, terá que configurar uma rede privada virtual (VPN) ou redirecionamento de portas (port forwarding) no seu roteador. Configurar uma VPN é mais seguro, mas também é bem mais complexo. Também perde em velocidade, então é recomendado fazer o redirecionamento de portas de qualquer jeito, para quando você quiser acessar grandes quantidades de dados. Se você quiser mesmo configurar a VPN, este guia oferece uma ajuda durante todo o processo. Para o redirecionamento de portas, estes são os passos:

1. Começando do começo, você precisa visitar a página de admin do seu roteador. O endereço dela é sempre um IP que você digita no navegador, e este IP depende do seu roteador. Por exemplo, o endereço desta página em roteadores Linksys é 192.168.1.1, enquanto os da D-Link têm a sua página no endereço 192.168.0.1. Roteadores AirPort da Apple não têm interface web e precisam ser configurados pelo aplicativo AirPort Utility. Se você não sabe o endereço da página de admin do seu roteador, consulte o manual. Você também pode descobrir esse endereço na parte de redes do painel de controle do seu sistema operacional, ou rodando ipconfig no Windows ou ifconfig no Mac/Linux.

2. Depois de descobrir este IP, acesse-o pelo navegador como se fosse o endereço de um site qualquer. Isso vai carregar a página de admin do seu roteador, onde você poderá configurá-lo. O seu roteador pode ter uma combinação de nome de usuário e senha padrão. Se você não lembra de ter configurado, é quase sempre “admin” nos dois valores. Caso contrário, verifique o manual.

3. Agora que você tem acesso irrestrito às configurações do seu roteador, localize a seção de redirecionamento de portas (port forwarding). As fabricantes gostam de esconder essas configurações em lugares estranhos da interface, que às vezes não fazem muito sentido. Se não conseguir achar, procure por “port forwarding [nome do seu roteador]” no Google. Quando descobrir onde está esta seção, clique nela.

4. Se você chegou até aqui, ótimo. Os próximos passos são mais fáceis de explicar, já que são praticamente iguais para todos os roteadores. Geralmente você verá um campo Application onde deve digitar o nome do serviço que está configurando. Por exemplo, se você está configurando um FTP, você vai digitar FTP (e talvez o nome do servidor, se você quiser ter certeza de que vai lembrar qual servidor é).

5. Depois, informe a porta que você quer redirecionar. No caso do FTP, é a 21. No caso de SFTP/SSH, é a 22. (Veremos todas as portas a seguir.) Alguns roteadores vão pedir pelas portas de entrada e saída. Se você está redirecionando tanto a 21 quanto a 22, a sua porta de entrada pode ser a 21, e a de a saída, a 22. Se só está redirecionando uma das duas, pode usar o mesmo número para entrada e saída.

6. Depois você precisa configurar o protocolo. Por padrão, estará selecionado “Both” (“Ambas”). No caso, estamos falando de ambos os protocolos, TCP e UDP, mas você geralmente não precisa abrir o UDP. A não ser que você esteja explicitamente rodando FTP sobre UDP, pode configurar o protocolo como TCP apenas. Com SSH, você pode querer deixar a UDP aberta também, já que ele às vezes usa. Se você gosta de sempre estar preparado, deixe o Both. Isso pode simplesmente significar que você está abrindo portas à toa.

7. No campo IP Address, informe o endereço IP do seu servidor de mídia caseiro. Você descobre este endereço rodando ipconfig no Windows e ifconfig no Mac/Linux, ou nas suas configurações de rede do sistema operacional. Qualquer que seja o IP, ele muito provavelmente começará com os mesmos números do seu roteador (ex.: 192.168.1.X).

8. Alguns roteadores não vão pedir por uma extensão de portas ou uma única porta para redirecionar, mas sim por uma porta “From” (“De”) e uma “To” (“Para”). Quando este for o caso, a porta From significa a porta que você vai usar quando estiver se conectando remotamente ao seu servidor de mídia. Em outras palavras, é a porta do seu roteador que estará aberta para o mundo. A porta To, por outro lado, é a porta no seu servidor. Por que há essa distinção? Digamos que você tenha dois computadores e quer ser capaz de se conectar a eles remotamente via VNC. Por padrão, o VNC usa a porta 5900. Se você abrir a 5900 e redirecioná-la para um computador, o outro não poderá usar a mesma porta. O que você faz nesse caso é usar a porta 5900 para o primeiro computador (o que significa que a porta From é 5900, e a porta To também é 5900), e usar uma porta não utilizada, como a 5901, para o segundo computador (o que significa que a porta From será 5901, e a porta To ainda será a 5900).

9. Por último, marque a caixa ao lado de Enable para, obviamente, habilitar as regras de redirecionamento de portas que você acabou de configurar. Parece um passo impossível de ignorar, mas muitas pessoas esquecem.

Este é o processo para habilitar o redirecionamento de portas, e você precisará repetir os passos 4 a 9 para cada nova porta que quiser redirecionar. É claro que você vai precisar saber quais portas precisa redirecionar, por isso, aqui vão os valores para os serviços que discutimos (e alguns extras que você poderá querer):

* FTP: 21 (TCP)
* SSH/SFTP: 22 (TCP, mas também UDP em ocasiões raras), e às vezes 115 para SFTP (TCP)
* HTTP (para hospedar um servidor web): 80 (TCP)
* SMB: 139
* Compartilhamento de impressora (LPR e LPD): 515 (TCP)
* AFP: 548 (TCP)
* RTSP (Servidores de streaming): 554 (TCP e UDP)
* NFS: 2049 (TCP e UDP)
* VNC: 5900 (TCP)

Depois de ter as suas regras de redirecionamento definidas para todas portas que quiser usar, salve tudo. Dependendo do roteador, pode ser necessário reinicializar.

________

Há muitas e muitas coisas incríveis que você pode adicionar a um servidor de mídia, seria impossível mencionar todas neste post. Se você tem sugestões, compartilhe nos comentários.