Essa é uma das imagens de Marte mais fascinantes que já vi. A perspectiva — capturada pela Mars Express — faz parecer que estou sentando bem próximo a nosso vizinho planetário, observando sua calota de gelo do polo sul e suas montanhas de bilhões de anos de idade. Em outras palavras, essas são as regiões inferiores de Marte.

A imagem foi divulgada recentemente pela Agência Espacial Europeia (ESA), depois de ser registrada pela câmera estéreo de alta resolução da Mars Express em 25 de fevereiro deste ano. Mas o que exatamente é tão estranho sobre a imagem? A ESA explica:



Durante o registro normal de uma imagem científica, a câmera geralmente aponta para baixo, mirando a superfície, do ponto mais próximo do planeta de acordo com a órbita elíptica da nave e a uma altitude de cerca de 300 km. Mas nesta observação incomum, conhecida por imagem de “calibragem de varredura”, o Mars Express se virou de tal forma que a câmera mirou acima da superfície do planeta, próximo ao ponto mais longe de sua órbita, neste caso, a cerca de 9.900 km. Além de poder registrar uma visão ampla incomum, foi permitido à câmera gravar uma série de registros nas mesmas condições de iluminação, permitindo uma calibração essencial dos sensores da máquina.

Próximo a parte inferior da imagem está a calota de gelo do polo sul, comprimindo água congelada e gelo de dióxido de carbono. Ela apresenta mudanças de tamanho e formato de acordo com as estações; a imagem principal exposta aqui foi capturada durante o verão do polo sul, mas durante o inverno, o gelo se estende às regiões mais suaves que podem ser vistas ao redor da calota. A parte do meio da figura corresponde as montanhas anciãs do planeta — ela está coberta por crateras de impacto de alta densidade de uma variedade de tamanhos e estados de erosão, com muitas delas em sobreposição. Um número de dunas escuras e empoeiradas também são visíveis, varridas por ventos e acumulando-se em crateras de impacto.

Veja abaixo a imagem original:

1424971724966121649