O mês de junho ficou marcado por dois grandes eventos astronômicos: a Superlua, que rendeu fotos de tirar o fôlego, e o alinhamento de cinco planetas no céu noturno. Se você perdeu algum desses fenômenos, não precisa desanimar. O mês de julho promete repeteco, trazendo ainda um show luminoso extra. Confira:

13 de julho – Superlua

Ela voltou. Nem superamos a Superlua de junho e já teremos outro evento igual no dia 13 de julho. Na data, o satélite estará em seu ponto mais próximo da Terra, conhecido como perigeu, criando a sensação de que a Lua está 15% maior e 30% mais brilhante.

Você também pode ouvir por aí as pessoas chamando o fenômeno de “Buck Moon”, ou Lua dos Cervos. O nome foi dado por tribos nativas americanas, que fazem referência à época em que os chifres dos cervos machos cultivam. 

28 de julho – Lua Nova

A Lua Nova tem um lado positivo e outro negativo. Para aqueles que gostam de observar o satélite, é um período desanimador, já que a Lua fica escondida no céu. 

Porém, é a melhor época do mês para observar galáxias e aglomerados de estrelas, pois não há interferência do brilho do satélite. No dia 28 de julho, vale tirar o telescópio do armário. 

28 e 29 de julho – Chuva de meteoros Delta Aquáridas

A chuva de meteoros Delta Aquáridas acontece anualmente entre 12 de julho e 23 de agosto. Neste ano, ela atingirá seu pico na noite do dia 28 de julho, estendendo-se até a manhã seguinte. 

O fenômeno é resultado dos detritos deixados pelos cometas Marsden e Kracht. As chamadas estrelas cadentes irradiam da constelação de Aquário, embora possam ser vistas em qualquer lugar do céu. Dessa vez, os binóculos são dispensáveis, já que limitam o campo de visão. 

É esperado que até 20 meteoros atravessem o céu noturno a cada hora. A ausência da Lua facilitará a observação do fenômeno. Na data, vale procurar um campo aberto, sem poluição luminosa, e ficar de olho nas condições climáticas. 

O Gizmodo Brasil preparou um calendário com todos os eventos astronômicos esperados para 2022. Confira aqui.