Segundo a agência chinesa de notícias Xinhua, a internet da Coreia do Norte está mais uma vez fora do ar. E agora a rede 3G de telefonia móvel do país também caiu.

>>> China diz não haver provas de que Coreia do Norte invadiu Sony

Repórteres confirmaram a informação via telefone fixo. Eles dizem que o acesso à internet já estava muito instável ontem.

A internet da Coreia do Norte vem sofrendo com inúmeras interrupções e, na segunda-feira, ela ficou fora do ar em um suposto ataque DDoS, voltando parcialmente no dia seguinte. Mas esta parece ser a primeira vez que as redes de telefonia móvel passaram pelo mesmo problema.

Pouquíssimos norte-coreanos têm acesso à internet, mas estima-se que cerca de 2,4 milhões têm celulares. O país tem 25 milhões de habitantes.

Atualização: segundo a Akamai, o acesso à internet voltou ao normal após um apagão de 5 horas.

A falha na rede de comunicações da Coreia do Norte vem pouco depois de um porta-voz oficial não identificado comparar o presidente dos EUA a um macaco. “Obama sempre é imprudente em palavras e atos, como um macaco em uma floresta tropical”, disse neste sábado um porta-voz do governo, através de agência norte-coreana de notícias KCNA.

China ou EUA?

Não está claro quem está por trás disso. Segundo a Reuters, alguns levantaram a hipótese de que a China seria a responsável, “cada vez mais irritada com o comportamento recalcitrante da Coreia do Norte, apesar da aliança de longa data entre os dois países”. A maior parte do tráfego norte-coreano de internet passa pela China em seu caminho ao mundo exterior.

Mas autoridades da Coreia do Norte acreditam que os EUA estão por trás das recentes falhas de serviço. A Comissão Nacional de Defesa, órgão que controla as forças armadas no país, diz em comunicado:

Os EUA, com o seu grande tamanho físico, estão alheios à vergonha de brincar de esconde-esconde como se fossem uma criança com nariz escorrendo. Eles começaram a interromper as operações de internet nos principais meios de comunicação de nossa república.

O FBI acusa o país asiático de ter invadido a Sony Pictures, vazando terabytes de informações confidenciais. A administração Obama disse que iria retaliar de alguma forma ao que considerou “um ato de ciberterrorismo”, não um ato de guerra.

Em um novo comunicado neste sábado, a Coreia do Norte reiterou que não esteve por trás do ataque à Sony Pictures, e quer que os EUA mostrem provas caso discordem. [Xinhua via Reuters]

Foto: ditador norte-coreano Kim Jong Un por AP Photo/Wong Maye-E

Texto atualizado em 28/12