A Newsweek publicou ontem uma reportagem bombástica, alegando ter enfim descoberto quem é o criador do Bitcoin. Por muitos anos, acreditava-se que um programador japonês, sob o pseudônimo “Satoshi Nakamoto”, havia inventado a moeda virtual. Mas a revista diz ter encontrado um senhor de 64 anos com o mesmo nome, e cuja história se encaixa com a do misterioso programador.

No entanto, a polêmica só começou: Dorian Prentice Satoshi Nakamoto nega ter qualquer envolvimento com o Bitcoin.



Ora, mas por que encontrá-lo seria importante? A Newsweek afirma que o criador do Bitcoin tem US$ 400 milhões em moeda virtual, em meio a uma crise – com ataques a sites e roubo de dinheiro – que vem derrubando seu valor.

A jornalista investigativa Leah McGrath Goodman trabalhou por dois meses, com a ajuda de dois analistas forenses, para localizar o possível criador do Bitcoin e entrevistar as muitas pessoas envolvidas com ele.

Infelizmente, a Newsweek cometeu o erro de publicar uma foto da casa de Nakamoto no sul da Califórnia, com placa de carro e tudo. A partir daí, foi fácil para outros veículos da mídia encontrar o japonês, o que gerou uma perseguição de carro digna de paparazzi. A Associated Press conseguiu uma entrevista exclusiva após pagar um almoço para ele.

Dorian S. Nakamoto

Será ele?

Falar com Dorian S. Nakamoto é difícil: trata-se de um homem recluso, que mora sozinho após ter se separado da esposa em 2000. “Ele não vê os filhos há anos”, diz ela. Além disso, ele tem um passado bastante secreto, por ter trabalhando em empresas ligadas à defesa nacional – que exigem acordos de confidencialidade – e até nas forças militares dos EUA.

Leah conseguiu falar brevemente com Nakamoto, e ele lhe disse: “Eu não estou mais envolvido, e não posso discutir isso. Tudo foi entregue a outras pessoas. Eles estão no comando agora. Eu não tenho mais nenhuma conexão.” Será esta a confissão de que ele criou a moeda virtual?

Talvez não. Nakamoto diz à Associated Press que foi mal compreendido: “eu disse que não estou mais envolvido em engenharia, só isso… Parece que eu estava envolvido antes com Bitcoin, e que não estou mais envolvido agora. Não é o que eu quis dizer. Quero esclarecer isso.” Nakamoto afirma que seu inglês não é perfeito; ele se mudou para os EUA quando criança em 1959, e também fala japonês.

A Newsweek, no entanto, refuta isto. Leah diz à AP que “não houve qualquer confusão sobre o contexto de nossa conversa, nem sobre o reconhecimento de que ele estava envolvido com Bitcoin”.

Os indícios

Há muitos indícios reunidos pela revista para tentar provar que Dorian S. Nakamoto é o criador da moeda virtual:

– Leah entrou em contato com Nakamoto por e-mail, inicialmente discutindo o interesse dele por ferromodelismo – modelos em escala reduzida de trens e ferrovias. Quando ela mencionou “Bitcoin” nos e-mails pela primeira vez, ele parou de responder;

– criar o Bitcoin exige bastante experiência em matemática e programação; Nakamoto se formou em física na Universidade Politécnica do Estado da Califórnia;

– Nakamoto é descrito pela família como um homem bastante reservado, “que filtra chamadas telefônicas e envia e-mails de forma anônima”;

– Gavin Andresen, que ajudou na criação do Bitcoin, diz: “todo mundo que viu o código dele praticamente concluiu que era uma única pessoa“; há rumores de que a moeda virtual foi criada por um conjunto de pessoas;

– Dorian S. Nakamoto perdeu o último emprego em 2001, logo após o ataque às Torres Gêmeas, e Andresen afirma que o Bitcoin começou a ser criado mais ou menos nessa época;

– o criador do Bitcoin ficou três anos em silêncio; Dorian S. Nakamoto sofreu com problemas de saúde – um ataque cardíaco e câncer de próstata – durante a mesma época;

– Nakamoto tem os ideais libertários da comunidade Bitcoin, estimulando sua filha Ilene Mitchell a “não ficar sob o domínio do governo”. Quando ela era nova, o pai brincava: “finge que as agências do governo estão vindo atrás de você”, e ela se escondia no armário;

– Ilene também acredita que seu pai “não seria franco em relação a isso”, a criar o Bitcoin; qualquer outra pessoa ficaria feliz com isso, mas “ele não é uma pessoa normal“;

– o irmão mais novo, Arthur Nakamoto, diz que ele é “um homem brilhante” e envolvido em matemática, engenharia e computadores. Mas Arthur também chama o irmão de “asshole”, e lembra que ele trabalhou por muito tempo em projetos secretos; “ele vai negar tudo, nunca vai admitir que começou o Bitcoin“.

Há outros indícios, incluindo a forma como ele escreve – mas nada disso é conclusivo.

Provas que contradizem

Eric Nakamoto diz não ter certeza de que o pai é o criador do Bitcoin, pois ele tem uma escrita “mais concisa e mais refinada que a do meu pai”. Durante a entrevista à AP, Nakamoto se referia à moeda virtual como “bitcom” e dizia que era uma empresa – não é o caso.

nakamoto email bitcoin

Além disso, há algumas provas – mesmo que fracas – de que Dorian S. Nakamoto não é o inventor do Bitcoin. Um e-mail escrito por “Dorian Nakamoto”, de Temple City, mostra um fraco domínio do inglês; isso contrasta com a linguagem técnica e hábil do criador do Bitcoin, no e-mail à direita.

Além disso, alguém com acesso à conta de Satoshi na P2P Foundation enviou uma mensagem dizendo: “Eu não sou Dorian Nakamoto”. A conta estava inativa desde 2011; falta confirmar a autenticidade da mensagem.

Dorian S. Nakamoto também diz à AP não fazer ideia de quem é Gavin Andresen. O membro da Bitcoin Foundation conta à Newsweek que, de fato, nunca encontrou o inventor da moeda virtual, nem mesmo ouviu sua voz. “Satoshi Nakamoto” não revelava nada sobre seu local de origem, nem carreira profissional, nem nada.

Em 2011, quando Andresen aceitou palestrar na CIA sobre o Bitcoin, a fim de defender a moeda virtual, Nakamoto sumiu. “Naquela época, não estava claro que o Bitcoin poderia ser algo permitido por lei. Ele fez um grande esforço para proteger seu anonimato”, diz Andresen.

Será Dorian Nakamoto o real inventor do Bitcoin, agora tentando se esconder da mídia? Ou as evidências são puramente circunstanciais, sem provar nada? O mistério só aumentou. [Newsweek; Associated Press via Gawker]

Foto por AP