A cidade alemã de Hamburgo foi palco de um protesto inusitado no último fim de semana. Cerca de 150 manifestantes, sendo a maioria deles crianças, marcharam, cantaram e empunharam cartazes em favor de uma causa: que seus pais deixem os smartphones um pouco de lado para brincar e dar atenção a eles.

• Por que as empresas começaram a se importar com vício tecnológico
• O smartphone da Samsung sem internet até que é uma boa ideia

Um dos líderes do protesto era o jovem Emil Rustige, de apenas sete anos de idade. Com um megafone em punho, ele convocava a criançada para gritar: “Estamos aqui! Somos barulhentos! Porque vocês só olham nos seus celulares!” Seus companheiros traziam cartazes com frases como “Ligue o modo avião! É minha vez agora!” e “Converse comigo!”.

De fato, o smartphone parece bastante presente na vida dos alemães — e não são só os adultos. Segundo a pesquisa Kinder-Medien-Studie, de 2018, cerca de metade das crianças entre quatro e 13 anos de idade já possuem seu próprio aparelho.

O pai da manifestante Ylvi Schmitt, uma garotinha de seis anos de idade, concordou com as crianças e apoiou o protesto, que, segundo ele, era um “exercício de democracia”. “Eu preciso me dedicar mais a eles”, confessou.

A manifestação terminou sem tumultos — apenas com muita brincadeira no parquinho.

[Welt, NDR, Deutsche Welle]

Imagem: rawpixel/Unsplash