Pesquisadores confirmaram a existência de uma floresta primitiva nas profundezas de um enorme buraco encontrado no condado de Leye, no sul da China. O sumidouro foi avistado anteriormente por imagens de satélite, o que levou uma equipe do Instituto de Geologia Cárstica da China Geological Survey a descer mais de 100 metros de rapel para explorar o local.

O sumidouro possui, no total, 192 metros de profundidade. Já seu interior tem 306 m de comprimento e 150 m de largura. Os pesquisadores tiveram que andar por várias horas para chegar até o fundo do poço, onde foram reveladas árvores antigas com mais de 40 metros de altura e três entradas para cavernas. Você pode conferir o vídeo da caverna neste link.

Esses buracos gigantes não são novidade na China. Por lá, eles recebem o nome de Tiankeng, que significa “poço celestial”. Este, por exemplo, é o 30º encontrado em Leye, com outras dezenas de sumidouros já tendo sido reveladas nas províncias de Xianxim e Guancim. 

As paisagens cársticas, como são conhecidas na ciência, nada mais são do que cavernas subterrâneas que perderam seus tetos. Com o tempo, a água levemente ácida da chuva acaba drenando através da terra e erodindo os blocos de rochas. Túneis e espaços vazios são formados nesse processo, e a camada superior do espaço acaba cedendo por estar muito fina e fraca.

Chen Lixin, líder da expedição, disse à agência de notícias “Xinhua que as plantas de sombra vistas nas profundidades eram tão altas que chegavam aos ombros dos exploradores. Não é improvável que espécies nunca antes reveladas habitem aquele ambiente.