Lilly estava viajando para Tel Aviv. Por algum motivo, os seguranças israelenses acharam-na suspeita. Então eles meteram três balas no MacBook dela.

Então eles me pediram para esperar. Como eles tinham pedido números de telefone de amigos e família, eu achei que eles queriam ligar para verificar minhas respostas às perguntas, ou confirmar que eu tinha familiares em Tel Aviv. Um anúncio tocou no sistema de som, interrompendo minha caminhada ao sol. Primeiro em hebraico, depois em árabe, depois em inglês. Era alguma coisa do tipo "não fiquem alarmados com sons de tiros, porque a segurança israelense precisa explodir a bagagem suspeita de um passageiro".
Eu entrei para ver minha mala. Eu a deixei sozinha, onde eles me disseram. Ela ainda estava lá quando entrei.

Momentos depois, um homem entrou e se apresentou como o gerente em serviço. E então, "desculpe, mas tivemos que explodir seu laptop".

Felizmente para todos os dados dela, eles não acertaram o disco rígido. Agora ela está tentando ver como fazer o governo israelense reembolsá-la pelo laptop transformado em queijo suíço. Leia a história completa no blog dela: [Lilly Sussman via Cynical-C]