A nova lei de proteção de dados da Europa, conhecida como GDPR (General Data Protection Regulation), está entre nós. A regulamentação impõe uma série de mudanças na maneira como as empresas tratam suas informações pessoais.

Um dos benefícios do GDPR é que ele exige que as empresas ofereçam alguma forma de os usuários pegarem todos os seus dados e deixem o serviço. Desta forma, você não irá ficar preso a um aplicativo de uma determinada companhia só porque não quer perder o acesso a fotos que armazenou ao passar dos anos – você deve conseguir mover suas informações para o serviço que preferir.

• O que é a GDPR, a lei de proteção de dados europeia, e por que ela importa

Para cumprir com a nova lei, grandes e pequenas empresas estão lançando ferramentas de download de dados. Mas transferir suas coisas de uma plataforma para outra ainda é mais irritante do que deveria – é preciso lidar com downloads pesados e formatos de arquivos conflitantes, já que a maioria dos serviços não lançaram boas funcionalidades de portabilidade. Fora que, para alguns serviços como o Facebook, não existe um competidor a altura para uma mudança.

Esperamos que essas ferramentas melhorem com o tempo, à medida que as empresas se ajustarem ao GDPR. Como aponta a Mozilla, o GDPR deve ser uma diretriz sobre o qual as empresas irão desenvolver boas práticas e não um teto que marca o limite de privacidade e portabilidade de dados.

“O GDPR fornece um conjunto básico de regras, que ajudam a estabelecer as bases para abordagens mais éticas sobre a coleta e processamento de dados. É um passo na direção certa, mas os problemas estarão nos detalhes para a maioria das organizações”, escreve MJ Kelly, da Mozilla. “Novos controles de privacidade, mesmo que estejam tecnicamente em conformidade com o GDPR, não ajudarão caso forem muito difíceis de usar e se as organizações não estiverem comprometidas com os princípios subjacentes que moldaram esse regulamento”.

Por enquanto, essas são algumas formas de baixas os seus dados.

Google

Você já pode extrair bastante dados de sua conta Google usando a ferramenta Takeout, lançada em 2011. O Takeout permite que você baixe seus emails, fotos, contatos, calendário, documentos do Google Drive, entre outros – tudo de uma só vez. Este vídeo meio bobo que o Google fez quando lançou a ferramenta explica como funciona:

Uma das funcionalidades mais bacana que o Google oferece é a possibilidade de transferir seus dados diretamente para outro serviço de armazenamento na nuvem, como Dropbox ou Box. A maioria dos serviços força os usuários a baixarem um grande pacote de dados e então subir novamente para um novo serviço, o que torna o procedimento bem inconveniente. Com o Takeout, você pode escolher entre mover seus dados para um competidor ou apenas baixá-los em seu disco rígido.

Se você tem um dispositivo Android, é possível obter alguns dados do aparelho aqui e pesquisar dados para o Google Home nesta página.

Apple

Para os devotos do iPhone, a Apple é provavelmente a maior fonte de dados pessoais – a empresa tem todas as suas fotos, contatos, registros de chamadas e correios de voz, metadados do iMessage e histórico de compras do iTunes. Se você usa funcionalidades como o Saúde e Keychain Access, a Apple pode ter algumas informações sensíveis sobre você, incluindo dados de saúde e senhas.

• Apple permitirá download de tudo que eles sabem de você

A companhia acabou de lançar uma ferramenta que permite que os usuários baixem seus dados, mas por enquanto está disponível para os usuários da União Europeia e algumas outras nações europeias. A Apple diz que irá liberar a ferramenta para todo o mundo até o final deste ano.

A Apple também oferece ao usuário a opção de deletar todos os dados – mas seja cuidadoso, uma vez que você faz isso, não há nenhuma chance de obtê-los de volta.

Facebook e Instagram

O Facebook e o Instagram lançaram ferramentas melhoradas de portabilidade de dados nas últimas semanas. Mas a suíte de apps do Facebook está entre as mais frustrantes quando se trata de portabilidade. Claro, você pode baixar suas informações. Mas onde você as colocará depois?

A exportação de dados do Facebook é bem compreensível – usuários podem esperar obter suas fotos e atualizações de status, bem como outras coisas interessantes como curtidas, histórico de pesquisa e informações sobre anúncios dirigidas a eles.

Mas como o TechCrunh aponta, o Facebook aderiu firmemente aos gráficos sociais dos usuários, tornando difícil para que as pessoas encontrem seus amigos em outras redes sociais. Ao mesmo tempo, a rede social absorve dados de gráficos sociais dos contatos de email e telefone para oferecer sugestões de amigos.

A nova ferramenta de portabilidade de dados do Instagram permite que você pegue suas fotos, vídeos e mensagens. Aparentemente não tem como pegar os comentários ou outros dados. A nova política de privacidade do Instagram, lançada a tempo para o GDPR, observa que o aplicativo coleta informações sobre como você toca e rola na tela do seu celular enquanto usa o aplicativo, mas não é possível obter esses dados.

Amazon

A Amazon frequentemente é deixada de lado nas discussões sobre a coleta de dados, mas a empresa possui uma tonelada de informações sobre sua localização e hábitos de compra. Se você possui um Echo, a empresa também tem acesso a gravações suas, realizadas em sua casa – o que não funcionou muito bem para esse casal – e, se você é um desenvolvedor web, é provável que tenha alguns dados armazenados no Amazon Web Services.

A Amazon não tem uma ferramenta central para downloads de dados, o que é um pouco zoado, mas você pode obter arquivos do histórico de compras e das gravações do Alexa. Dependendo dos serviços da Amazon que você usa, você terá que pesquisar nas várias páginas de suporte da empresa para encontrar e fazer o download dos dados exatos que está procurando.

Bônus

Twitter
Snapchat
LinkedIn

Imagem do topo: Jacques Brinon (AP)