Agora que os drones estão se tornando mais acessíveis, tem muito piloto amador colocando seus brinquedos para voar em qualquer lugar, inclusive em áreas em que eles não deveriam estar. Na verdade, os quadcopteros estão sendo usados de forma muito perigosa. É aí que esse caçador de drones, chamado Airspace, entra em cena. E uma de suas características mais interessantes: ele é automático.

• O Estado Islâmico está usando drones convencionais para realizar ataques
• Aeroportos americanos testarão “raio da morte” contra drones amadores intrusos

Usando machine learning, o software do Airspace melhora constantemente suas capacidade autônomas. O usuário pode definir um alvo específico usando um aplicativo no celular ou o próprio drone pode identificá-los usando “visão artificial e aprendizagem profunda para detectar anomalias no céu e classificar drones inimigos”. Espero que uma gaivota no lugar errado e na hora errada não seja classificada como alvo.

Por razões de segurança, em vez de destruir o alvo ao realizar contato, o Airspace lança uma rede com uma corda para capturá-lo e levá-lo para a base. Afinal, ninguém quer um monte de estilhaço de drone voando por aí.

Ainda não há detalhes sobre a disponibilidade do Airspace, nem sobre o preço ou sobre quem poderá comprá-lo. O pessoal da Airspace Systems diz que o drone pode ser usado para a aplicação da lei, por governos e por empresas que não querem nenhum drone espionando os negócios.

Um cidadão comum, irritado com drones das crianças da vizinhança poderá comprar um? Esperamos que sim. Esse é o cão de guarda versão século 21.

[Airspace via Laughing Squid]