Enquanto todos estavam ocupados acompanhando os anúncios da Google I/O 2015, outra notícia sobre a empresa quase passou despercebida: de acordo com a Bloomberg Businesso drone de alto voo movido a energia solar Solara 50 caiu no deserto do Albuquerque (EUA) há algumas semanas. Ops!

O drone, talvez inspirado naquelas libélulas gigantes que viveram na Terra milênios atrás, era um protótipo bem importante. Ele era o modelo para uma aeronave não-tripulada ainda maior, que o Google quer utilizar para levar internet a partes do mundo com infraestrutura terrestre precária.

A Titan Aerospace, empresa que constrói os drones Solara, diz que a versão final terá uma envergadura de 50 m e poderá voar tanto sobre as nuvens quanto abaixo delas, em tráfego aéreo normal, enviando sinais à Terra como um satélite. As baterias do drone são, aparentemente, projetadas para armazenar eletricidade o suficiente para mantê-lo funcionando por uma noite inteira e permanecer no ar por até 5 anos.

Quer dizer, isso se ele conseguir ficar no céu: o Solara 50 caiu logo após a decolagem, em 1˚ de maio, e ficou totalmente destruído.

O Google diz que “continua otimista”, e deveria mesmo: o caminho para a gigante das buscas ser a primeira Skynet tem seus percalços, mas pode dar certo. Traremos mais notícias quando os primeiros protótipos dos T-1000s chegarem. [Bloomberg Business]

Foto de capa: drone Solara 50 da Titan Aerospace, via Titan Aerospace/AP Photo