Nós já vimos muitos conceitos, mas este é o plano mais realista já feito para a primeira base lunar da humanidade. Ela é mais eficiente e barata para construir do que qualquer outra alternativa, já que usa impressão 3D para rapidamente transformar o solo lunar em cúpulas habitáveis.

Além disso? O visual é incrível.

A estrutura de solo lunar provê isolamento térmico e de radiação. Por dentro, um inflável pressurizado bem leve, com o mesmo formato da cúpula, será o ambiente de convívio para os primeiros humanos a habitarem a Lua.

A Agência Espacial Europeia (ESA) e a empresa de arquitetura Foster + Partners estão trabalhando na tecnologia que tornará isso realidade. De acorAstronauta em sua base lunar.do com o Scott Hovland, da equipe de voo espacial humano da ESA, “a impressão 3D oferece meios potenciais de facilitar a residência lunar com logística reduzida na Terra.”

A lógica é que se 90% das coisas que precisamos para construir uma base já está na Lua, só precisamos levar robôs que imprimem 3D (você pode ver um ali embaixo) e as partes leves, como os infláveis, o conector sólido e os segmentos de entrada. Isso torna essa ideia muito mais barata do que suas alternativas.

 

Robô autômato construindo base lunar.

Xavier De Kestelier, do Grupo de Modelagem Especializada da Foster + Partners, diz que a tecnologia de construção via impressão 3D já produziu estruturas inteiras sob condições extremas na Terra, então é perfeitamente possível fazer o mesmo lá em cima:

“Como prática, estamos acostumados a projetar para climas extremos na Terra e explorar os benefícios ambientais usando materiais locais e sustentáveis. Nossa habitação lunar segue uma lógica parecida.”

A equipe já encontrou um meio de usar as mesmas tecnologias sob as condições ambientais da Lua, elaborando “um projeto de sustentação de peso da cúpula ‘catenária’ com uma parede de estrutura celular para blindá-la contra micro meteoros e radiação espacial, incorporando um inflável pressurizado para abrigar os astronautas. Uma estrutura de célula oca (reminiscente dos ossos das aves) oferece boa combinação de força e peso.” Eles produziram essa amostra de 1,5 tonelada como uma demonstração de como essas paredes de células ocas devem funcionar:

Blocos de construção da base lunar.

Aquele bloco é totalmente feito com material lunar simulado e óxido de magnésio. Isso transforma o material em uma polpa que pode ser pulverizada para formar o bloco. Então, eles aplicam um sal de ligação que “converte [esse] material em um objeto sólido como rocha.” Bem impressionante.

De acordo com Enrico Dini (fundador da Monolite, baseada no Reino Unido, que começou a trabalhar com impressoras 3D em 2010 e a propôs para a construção da base lunas), as máquinas agora estão imprimindo dois metros por hora. Ele diz que a próxima geração aumentará a velocidade para 3,5 metros por hora, o que é o bastante para completar uma construção inteira em uma semana.

Se eles mantiverem esse ritmo de progressos, uma estrutura completa na Lua talvez se torne realidade enquanto ainda estivermos (eu e você) vivos. [ESA e Foster and Partners]