Bem, descartável porque poderá ser reciclado, na verdade. (Você recicla… né?) Pesquisadores de universidades descobriram uma forma de transformar papel em e-paper – isto é, a mesma tela do Kindle ou do Alfa.

O professor Andrew Steckl, da Universidade de Cincinnati, mostrou com sucesso como usar "electrowetting" no papel – processo de aplicar um campo elétrico em gotículas coloridas dentro de uma tela – funciona da mesma forma que no vidro. O e-paper, como o conhecemos hoje, ainda deve durar pelo menos alguns anos (ou até quando você derrubar seu e-reader e quebrá-lo de vez), mas Steckl diz que o e-paper de papel "é bastante barato, bem rápido, colorido e no final do dia ou da semana, você poderia jogá-lo no lixo".

Obviamente em um pedaço normal de papel, você só pode guardar uma quantidade limitada de dados – a menos que você escreva a lápis e reescreva constantemente. Este e-paper de papel conteria a mesma quantidade de informação que um monitor de computador, de acordo com Steckl, mas pode ser descartado com facilidade, com poucas repercussões ambientais.

Não sei se a última afirmação procede, mas ainda assim, é fascinante o que Steckl e sua equipe conseguiram fazer em campo. Dado que estamos ansiosos por e-paper colorido há tempos, o trabalho de Steckl deve ir longe. [TG Daily via SlashGear]