Vez ou outra mostramos aqui alguns drones ou UAVs ou, ainda, “vants”, enfim, aviões não tripulados que trabalham ao redor do mundo em missões especiais e arriscadas. O Brasil passa a integrar esse seleto grupo de países que possuem suas próprias aeronaves não tripuladas graças ao Instituto Militar de Engenharia.

Até agora foram produzidos seis vants (sigla de veículo aéreo não tripulado). A Defesa Civil Estadual do Rio de Janeiro, a Artilharia Antiaérea do Exército e o próprio IME possuem, cada um, seu próprio vant. O BOPE, Batalhão de Operações Policiais Especiais da Política Militar carioca, recebeu três do IME para ajudar em missões arriscadas. Cada unidade custou R$ 180 mil.

Nosso vant foi criado com tecnologia e expertise totalmente nacional. Jacy Montenegro Magalhães Neto, gerente do projeto, disse:

“Temos vants demonstradores de tecnologia, frutos de pesquisas de pós-graduação e de trabalhos de graduação, construídos por cérebros brasileiros, com recursos nacionais e tecnologia livre de restrições internacionais de comércio. Nossa busca é pela soberania tecnológica.”

Eles voam a 500 metros de altura e possuem câmeras com zoom ótico capazes de filmar com nitidez a placa de um carro. Acima dos 100 metros, ele não é mais visível a olho nu, ficando a salvo da artilharia inimiga. Policiais do BOPE receberão treinamento do próprio IME para operar os vants. [UOL]