O resultado financeiro da HP no primeiro trimestre, divulgado ontem, superou expectativas mas não foi o bastante. Por isso, confirmando rumores, a empresa do Vale do Silício vai eliminar milhares de empregos: a HP vai demitir 27.000 funcionários ao redor do mundo, ou cerca de 8% da força de trabalho.

Um porta-voz disse à BBC que a HP ainda não anunciou planos específicos para a demissão, mas nota: “nós esperamos que a redução da força de trabalho afete praticamente todo negócio e região”.



A empresa justifica as demissões dizendo que vai realocar o dinheiro para “três áreas de foco estratégico: nuvem, ‘big data‘ e segurança”. Os planos da HP para uma virada incluem investir em diversos produtos voltados para empresas, como impressão, servidores, redes e armazenamento.

É sempre ruim ver uma onda de demissões, mas para uma empresa que está enfraquecendo e precisa se reestruturar – e logo! – os cortes parecem inevitáveis. A HP está perdida há algum tempo: investiu no webOS para logo depois desistir; queria vender a enorme divisão de computadores pessoais, e voltou atrás; e ainda não conseguiu responder ao crescente sucesso de smartphones e tablets. Mas será que a CEO Meg Whitman consegue colocar a HP de volta nos eixos? [HP e BBC]