Há 40 anos, os Estados Unidos ainda colhiam os louros do sucesso da viagem à Lua e flertavam com a ideia de que as inovações da corrida espacial continuariam surgindo a passos largos. E… sim, chegamos aos ônibus espaciais e hoje temos máquinas em solo marciano mandando informações para cá. Mas as super estações espaciais capazes de abrigar civilizações inteiras dentro, como imaginavam os artistas da época, não.

Nos anos 1970, um punhado de artistas desenhou representações detalhadas das referidas super estações espaciais para a NASA. Elas fazem a Estação Espacial Internacional parecer uma lata de sardinha voadora — o que, na real, é basicamente o que ela é. Nesses conceitos, as estações espaciais eram grandes o bastante não só para suportar vizinhanças inteiras muito semelhantes às da Terra, com casas e caras de camisa polo lavando seus carros nas calçadas, mas também fazendas com gado e tudo mais.



Alguns aspectos desses trabalhos parecem de alguma forma familiares. Há muito esforço colocado no design centrífugo que permitiria a gravidade artificial, sem surpresa já que essa ideia apareceu em filmes como 2001: Uma Odisseia no Espaço quase que na mesma época. Não se esqueça que os anos 1960 tinham terminado há pouco e a era das discotecas estava apenas começando. Boas são as chances de um ou dois desses desenhos futuristas terem sido concebidos sob a influência de drogas. [Space.com]

img9 estacao-espacial-1970 img1 img2 img3 img4 img5 img6 img7 img8