A crise climática já está afetando a vida de habitantes de regiões insulares ameaçadas de sumir do mapa. Duas ilhas em especial, Tânger, nos EUA, e Tuvalu, país da Oceania, estão na lista das que podem sumir do mapa com o aumento do nível do mar. 

E essa elevação das águas oceânicas é uma das consequências mais sérias disso, de acordo com o último Relatório de Avaliação do IPCC

A região de Tânger, uma das últimas ilhas habitadas remanescentes na Baía de Chesapeake, nos EUA, é uma comunidade de pescadores. A população da cidade diminuiu de mais de 1.100 habitantes no início de 1900 para 436 em 2020.

Uma pesquisa publicada na revista científica Frontiers in Climate apontou que a ilha poderá perder todas as terras próprias para serem habitadas em até 30 anos. De acordo com os cientistas, os dados e análises sugerem que Tânger está quase sem tempo para ser riscada do mapa, assim como muitas outras comunidades costeiras em todo o mundo.

Os pesquisadores dizem que é possível salvar a região se certas ações foram tomadas, como por exemplo aplicar pedras de proteção ao longo das costas vulneráveis ​​da ilha e elevar áreas em três metros usando areia. Algumas soluções como a criação de recifes também podem ajudar — algo que custaria de 100 a 300 mil dólares por hectare de recife.

Do outro lado do mundo, o ministro das Relações Exteriores de Tuvalu, país da Oceania, resolveu alertar o mundo sobre as mudanças climáticas de uma maneira inusitada: falando atrás de um púlpito semi-submerso.

No vídeo, Simon Kofe faz um apelo: “Não vamos ficar parados enquanto a água sobe. Não estamos apenas conversando em Tuvalu, estamos mobilizando uma ação coletiva local, em nossa região e no cenário internacional, para garantir nosso futuro.”

A ilha de Fiji, vizinha de Tuvalu, tenta realocar 75 comunidades para o interior do território para escapar da elevação do mar. 

Assine a newsletter do Gizmodo

Além do nível do mar, outras ilhas do Pacífico também sofrem com o aumento dos níveis de água salgada, que é espalhada sobre as plantações por tempestades provocadas por ciclones.

Mas não só as pequenas ilhotas que estão na mira da alta dos oceanos. Cidades importantes, como Jakarta, na Indonésia, Xangai, na China, e Nova Orleans, nos Estados Unidos, também já vem sofrendo com inundações com mais frequência nos últimos anos.