Carros inteligentes já chegaram a um ponto em que eles conseguem detectar perigos e reagir com mais rapidez do que o motorista. E para ajudar a garantir que um veículo consiga mesmo parar a tempo de evitar um acidente, uma empresa sueca projetou um freio de emergência que se agarra à rua usando uma sucção fortíssima.

O freio Torricelli da Autoliv ainda está em fase de protótipo, então nada de sonhar em colocar um agora mesmo no seu carro. Mas, em seus testes, ele vem se mostrando promissor e pode se tornar um meio eficiente de fazer um carro em alta velocidade parar em pouquíssimo tempo.

Freio de emergência a vácuo

Posicionado abaixo da traseira do veículo, o freio usa uma placa de metal que é automaticamente abaixada até o chão com ajuda de sistemas hidráulicos quando os sensores e componentes eletrônicos do carro decidem que o veículo precisa parar. Em uma fração de segundo, essa placa de metal começa a usar sucção para criar um vácuo que exerce algo em torno de 15.000 Newtons de força sobre a superfície da rua, reduzindo a distância de paragem do carro em até 40%.

Há um problema grave com essa tecnologia. No entanto, a culpa maior é do corpo humano. Parar um carro com tanta rapidez cria uma força imensa, e, dependendo da velocidade inicial do carro, os órgãos dos passageiros com cinto de segurança podem ser destruídos. E aqueles que não estiverem protegidos não vão se dar muito melhor, já que provavelmente serão lançados através do para-brisas.

Então por mais que o sistema funcione muito bem, ele ainda precisa superar alguns obstáculos antes de se tornar um acessório disponível no mercado de automóveis. Mas conforme carros autônomos comecem a se tornar mais comuns nas ruas, essa parece ser uma forma bastante eficiente de reduzir acidentes em cidades em que os carros não atingem velocidades muito altas, mas ainda se locomovem rápido o suficiente para causar alguns ferimentos graves.

[Autoliv via IEEE Spectrum]