Em suas pesquisas, os cientistas nunca foram capazes de capturar imagens precisas das partes internas de um vírus sem antes congelá-lo ou abri-lo. Com a Fonte de Luz Coerente por LINAC, ou LCLS, tudo isso muda. Isso porque o LCLS é um laser de raio-X de elétrons livres, uma fonte de raio-X um bilhão de vezes mais brilhante que qualquer outra. Agora eles podem ver os vírus enquanto eles estão em ação, abrindo todo tipo de possibilidade para pesquisas futuras.

De acordo com o Gizmag, o LCLS, raio potente o bastante para atravessar aço, só emite um feixe por “alguns milionésimos de bilionésimo” de segundo, e destrói o que estiver em sua mira quando captura imagens. Mas ele permite que pesquisadores vejam coisas que nunca viram antes.

Cientistas lançaram partículas vivas de mimivírus em forma não-cristalizada no feixe de um LCLS, e conseguiram duas imagens mostrando a cobertura externa dos vírus, além da parte interna, e uma equipe de pesquisadores da Universidade Stanford está tentando determinar se o centro do vírus tem material genético ou não. Eles acreditam que este grande avanço na técnica irá ajudá-los até a filmar vírus e micróbios se movendo, e “revolucionar o estudo da vida”. [Gizmag]