Jim Balsillie é um dos grandes responsáveis pela ascensão e queda da BlackBerry (antes RIM). Ele foi co-CEO por muitos anos, dividindo o cargo com Mike Lazaridis até o ano passado, quando saiu da empresa. Agora, ele corta de vez os laços com a BlackBerry: Balsillie vendeu todas as 28,6 milhões de ações que possuía até então – isso corresponde a 5,1% da empresa.

Isto sugere que o ex-CEO não está muito confiante nos rumos que a BlackBerry seguiu, apostando forte em um novo sistema operacional. Fontes dizem que ele saiu da empresa após discordar da estratégia adotada pelo novo CEO, Thorsten Heins.

Balsillie queria reinventar a marca BlackBerry, oferecendo a rede segura da empresa para quem usasse smartphones de outra marca, e abrindo o BBM (BlackBerry Messenger) para outras plataformas como iOS e Android. Ele teria discutido estas mudanças com operadoras de telefonia do mundo inteiro, mas Thorsten Heins rejeitou a ideia, apoiado por Mike Lazaridis e pela diretoria.

Então é compreensível que Balsillie queira deixar de lado toda essa história da RIM/BlackBerry. Além disso, como as ações estão num patamar alto (vendo as cotações do último ano), parece ser um bom momento para vendê-las.

Jim Balsillie se juntou à RIM (hoje BlackBerry) em 1992, e como co-CEO, ajudou a empresa a se especializar em seus bem-sucedidos smartphones que dominaram o mercado por muitos anos. Isto até o sucesso do iPhone e, anos depois, do Android. Novos produtos BlackBerry aquém das expectativas, e o pouco diferencial em relação à concorrência, levaram à lenta derrocada da empresa.

Vale lembrar uma declaração de Balsillie à época do lançamento do iPhone, em 2007:

[O iPhone é] meio que mais um candidato em um espaço já repleto com muitas opções de escolha para os consumidores… Mas em termos de uma possível grande mudança para o BlackBerry, eu acho que isso é um exagero.

Com as ações vendidas, talvez Balsillie consiga enfim fechar esse capítulo de sua história. [SEC via The Verge e VentureBeat]