Pode haver algum fisiologista que eu esteja ignorando aqui, mas não parece controverso dizer que, entre as pessoas que estudam sobre exercício físico, há um consenso de 100% de que se exercitar faz bem para você. No entanto, para aqueles de nós que se acostumaram a sentir-se fisicamente péssimos o tempo todo, “bom para você” pode não ser incentivo o bastante. Mais atraente, talvez, seria a perspectiva de uma vida mais longa.

Não levantar pesos é extremamente divertido, assim como não andar de bicicleta e não participar de um time amador de futebol, mas a alegria de ser sedentário vale a pena se morrermos mais cedo por causa disso? Antes de responder, seria útil saber o quanto podemos esperar de um regime regular de exercícios. Para o Giz Pergunta desta semana, contatamos alguns especialistas para descobrir.

Benjamin Levine

Professor de Medicina Interna e titular de Ciências do Exercício no UT Southwestern Medical Center, assim como fundador e diretor do Instituto de Exercício e Medicina Ambiental (IEEM)

Se você evitar a morte causada por, digamos, doenças cardiovasculares, você ainda pode morrer de câncer. Você pode andar de bicicleta regularmente e estar em forma, mas ainda ser atropelado por um carro. Há uma variedade do que chamamos de ‘riscos concorrentes’ na vida. Então, isso realmente depende de quem você é, e quantos anos você tem, e quais são os seus fatores de risco para uma variedade de diferentes causas de morte.

Sabemos que o exercício reduz os riscos de várias coisas diferentes – mais dramaticamente doenças cardiovasculares (em até 50%, dependendo das circunstâncias). Esse número irá variar dependendo da sua saúde, ou se você tem uma doença cardiovascular escondida ou se teve um ataque cardíaco no passado. Mas não há dúvida de que, em praticamente todos os estudos, a resposta é uma redução substancial na morte cardiovascular. É difícil dizer quantos meses ou anos a mais você pode viver, mas o mais importante é que isso fará com que você se ajuste e seja forte e o ajudará a viver melhor.

Quando falo com as pessoas sobre o exercício, digo que você precisa tornar ele parte da sua higiene pessoal – da mesma forma que você escova os dentes, troca diariamente cueca e calcinha e tenta comer bem. A minha recomendação é de 4 a 5 dias por semana de algum tipo de exercício. Eu recomendo que todos façam pelo menos uma sessão longa uma vez por semana com duração de pelo menos uma hora e façam algo divertido – pode ser uma aula de dança, pode ser uma partida de tênis, pode ser uma caminhada com sua esposa, pode ser um longo passeio de bicicleta no parque. Não importa o que seja, mas tem que ser relativamente longo e algo que você goste. Eu também recomendo que você faça pelo menos 1 dia por semana de algo que seja de alta intensidade. Há uma variedade de diferentes tipos de treinamento intervalado. E então 2-3 dias por semana do tipo de treino de intensidade moderada a vigorosa em que a maioria das pessoas pensa quando pensa em fazer exercícios – andar de bicicleta, sair para uma corrida ou caminhada rápida, etc.

“Depende realmente de quem você é, e quantos anos você tem, e quais são seus fatores de risco para uma variedade de diferentes causas de morte.”

Larry Tucker

Professor, Ciência do Exercício, Brigham Young University

Ninguém pode prever quanto tempo um indivíduo vai viver. No entanto, como um grupo, os praticantes de exercício vivem significativamente mais tempo que os adultos sedentários. Embora existam muitos métodos diferentes que podem ser usados ​​para estimar os anos extras que os praticantes podem ganhar com a atividade física, uma estratégia é medir seus telômeros. Os telômeros são as extremidades dos cromossomos. O comprimento dos telômeros fornece uma boa indicação de quantos anos uma pessoa tem biologicamente.

Em um estudo que realizei, um total de 5.823 americanos adultos foram examinados. Homens e mulheres que realizavam altos níveis de atividade física toda semana tinham telômeros muito mais longos que os outros. De fato, o comprimento dos telômeros mostrou que os adultos com altos níveis de atividade física semanal tinham quase 9 anos a menos de envelhecimento biológico em comparação com aqueles que eram sedentários.

Na pesquisa, várias dezenas de atividades físicas diferentes foram avaliadas, então havia muitas coisas que os adultos poderiam fazer para aumentar seus níveis de aptidão física. Aqueles que realizavam atividades vigorosas 35-45 minutos ou mais por dia, cinco dias por semana, tinham os telômeros mais longos. Indivíduos que se exercitavam com intensidade moderada precisam fazer suas atividades por muito mais tempo, uma hora ou mais por sessão. Embora altos níveis de atividade física e telômeros mais longos não garantam uma vida mais longa, eles definitivamente aumentam sua probabilidade.

“Embora altos níveis de atividade física e telômeros mais longos não garantam uma vida mais longa, eles definitivamente aumentam sua probabilidade.”

Angelique Brellenthin

Gerente de Projeto do CardioRACE com Pós-Doutorado em Cinesiologia, Iowa State University, que estudou a corrida como um estilo de vida para a longevidade.

Depois de levar em consideração idade, sexo, tabagismo, obesidade e outras condições médicas, como hipertensão e diabetes, descobrimos em um estudo que quem pratica corrida vive em média 3 anos a mais do que quem não corre, o que é semelhante ao que outros estudos sobre corredores descobriram.

Estimamos ainda que para cada 1 hora que você gasta correndo, você ganha 7 horas de vida. Além da corrida, outros estudos descobriram que as pessoas vivem em média 3-4 anos a mais se estiverem regularmente ativas em comparação com as sedentárias. No entanto, a maioria dessas evidências vem da participação autorreferida em atividades aeróbicas tradicionais como caminhar, andar de bicicleta ou nadar.

Sabemos muito pouco sobre o potencial de aumento da longevidade que você pode obter participando de outras formas populares de exercício, como o treino de resistência. Há evidências crescentes de que a força e a função muscular são tão importantes quanto a capacidade aeróbica para envelhecer bem. Não importa o que seja, no entanto, você só obtém um benefício de longevidade fazendo exercícios a longo prazo, o que significa que você deve selecionar uma atividade que goste e que seja boa para o seu corpo. Existem infinitas maneiras de ser ativo, mas muitas vezes são as atividades mais simples, como caminhar, que são mais sustentáveis ​​para a vida.

Hirofumi Tanaka

Professora de Cinesiologia e Educação da Saúde, Universidade do Texas em Austin

A atividade física regular traz inúmeros benefícios para a maioria dos órgãos e tecidos que temos em nosso corpo. Também atua para reduzir mortes prematuras por eventos cardiovasculares comuns, incluindo ataques cardíacos e derrames. Mesmo se você tiver ataques cardíacos similares, os danos causados a você tendem a ser muito menores se você se exercitar regularmente. Mas não há boas evidências mostrando que a atividade física regular prolonga a vida útil.