Expedição quer localizar meteorito interestelar no Oceano Pacífico

Astrofísico de Harvard busca financiamento para encontrar o que, segundo ele, pode ser o primeiro meteorito interestelar da história
Expedição quer localizar meteorito interestelar caído no Oceano Pacífico
Imagem: Pixabay/Reprodução

O astrofísico israelita-americano Avi Loeb está organizando uma expedição para recuperar fragmentos de um meteorito que caiu no Oceano Pacífico em 2014. Segundo o pesquisador, este pode ser o primeiro objeto interestelar a cair na Terra que se tem notícia.

whatsapp invite banner

Loeb trabalha no Centro Harvard-Smithsonian para Astrofísica, nos Estados Unidos, e ficou conhecido internacionalmente por defender que o famoso objeto interestelar Oumuamua – que atravessou o Sistema Solar há 5 anos – era, na verdade, uma nave alienígena, conforme relata em um livro (disponível na Amazon).

O objeto que caiu no oceano – batizado CNEOS 2014-01-08 – foi detectado por uma rede de satélites dos EUA que monitora asteroides potencialmente perigosos na proximidade da Terra. A partir de dados coletados desses satélites e de um sistema de detecção de mísseis, Loeb afirmou que o objeto viajava em altíssima velocidade quando atingiu o planeta, sugerindo que ele poderia ter vindo de fora do Sistema Solar.

“Ele se moveu muito rápido, cerca de 40 quilômetros por segundo [mais de 140 mil km/h], quando explodiu na atmosfera mais baixa… E, a partir disso, podemos inferir que estava se movendo muito rápido para ser ligado ao Sol”, disse ele.

Em 2019, o astrofísico chegou a enviar o estudo para publicação por uma revista científica, mas ele foi rejeitado com a alegação de que os dados estavam incompletos ou imprecisos. Porém, em abril deste ano, um memorando do Comando Espacial dos EUA reconheceu que os dados disponíveis indicam a origem interestelar do objeto caído no Pacífico, conforme tuíte abaixo:

Loeb descreve seu trabalho como “arqueologia interestelar” e não descarta a possibilidade de que o meteorito possa ter origem alienígena. De novo.

A expedição em busca do 1º meteorito interestelar

Para a busca do meteorito no fundo do mar, Loeb idealizou o “Galileo Project”, com o objetivo de estudar a natureza de corpos interestelares, identificar potenciais assinaturas alienígenas nesses objetos, além de investigar fenômenos atmosféricos inexplicáveis – os famigerados OVNIS.

Para a expedição, o astrônomo está buscando financiamento de US$ 1,7 milhão para encontrar os pedaços do meteorito em uma área de cerca de 100 km quadrados no Oceano Pacífico Sul – perto da costa nordeste de Papua-Nova Guiné.

O Galileo também envolve utilizar o Observatório Vera C. Rubin, que está sendo construído no Chile, para estudar objetos interestelares e tecnologias alienígenas no Sistema Solar. Por mais que os estudos de Loeb sejam ridicularizados por outros cientistas, a Scientific American ressalta que até mesmo os críticos reconhecem o talento e as credenciais do astrofísico.

Vale lembrar que, sendo alienígena ou não, o simples fato de encontrar na Terra pedaços de um meteorito de origem interestelar é o suficiente para fazer a expedição de Loeb entrar para a história.

No vídeo abaixo, o astrofísico apresenta o “Galileo Project”:

Hemerson Brandão

Hemerson Brandão

Hemerson é editor, repórter e copywriter, escrevendo sobre espaço, tecnologia e, às vezes, sobre outros temas da cultura nerd. Grande entusiasta da astronomia, também é interessado em exploração espacial e fã de Star Trek.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas