Hohagen explicou, no evento Conarh ABRH 2011 de recursos humanos, que o principal obstáculo é encontrar pessoas com espírito empreendedor. Como o Facebook está sendo comandado no Brasil como uma startup – uma empresa nova, em fase de desenvolvimento e pesquisa de mercado – o perfil procurado é diferente. Hohagen diz: “Às vezes, não adianta trazer alguém com muito conhecimento, pois as características necessárias em profissionais para uma startup são um pouco diferentes”.

Mas, se você acha que tem o que é necessário para entrar na equipe do Facebook, basta se candidatar a uma destas sete vagas em São Paulo, nas áreas de vendas, relações públicas e finanças. Boa sorte!

O Facebook opera em fase bem inicial no Brasil, tanto que o próprio Hohagen, vice-presidente da empresa, sai para comprar cartuchos de impressora, ou para comprar água. “Não temos nem secretária”, diz ele. À medida que o Facebook se torna ainda mais brasileiro, a empresa deve crescer bem rápido, como toda startup que se preza.

No evento, Hohagen também defendeu o uso das redes sociais durante o trabalho – por exemplo, o Facebook – citando um estudo segundo o qual sem redes sociais no trabalho, 21% dos entrevistados mudariam de emprego. Nós já comentamos outra pesquisa segundo a qual você não está sozinho em acessar redes sociais no trabalho – 85% dos brasileiros entrevistados fazem o mesmo! – mas é claro que Hohagen está vendendo seu peixe ao defender isto. Claro, se sua empresa usa redes sociais para trabalhar – assim como nós do Gizmodo Brasil – aí tudo bem… [Info]

Foto por Veja São Paulo