O Facebook informou que vai acabar com algumas propagandas direcionadas para usuários de acordo com a raça. “Vamos desligar [este recurso]; na verdade, vamos proibir o uso de afinidade étnica para fins de marketing que identificamos em anúncios oferencendo moradia, emprego e crédito”, disse Erin Egan, vice-presidente de política pública do Facebook nos EUA, ao USA Today.

A disputa Facebook vs. Adblock Plus sobre bloqueio de anúncios está só começando
O Facebook vai começar a monitorar quais lojas você visita

A decisão vem após uma reportagem da agência ProPublica que descrevia como anunciantes tinham a habilidade de excluir ou direcionar propagandas para usuários baseado na raça deles, além de revelar a existência de uma ação judicial pendente sobre o problema e que isso violava o Fair Housing Act (uma lei que trata que não pode haver discriminação na aquisição de uma propriedade) e o Civil Rights Act (lei que torna ilegal a discriminação por cor).

“Recentemente, legisladores e líderes da área de direitos civis expressaram preocupações de que os anunciantes poderiam usar de forma equivocada alguns aspectos de nossos segmentos de afinidade de marketing”, informou o Facebook em um comunicado. “Especificamente, eles levantaram a possibilidade de que alguns anunciantes poderiam usar este recurso para direcionar propagandas que discriminas as pessoas, especialmente em áreas onde alguns grupos sofrem discriminação histórica — para adquirir casas, ter emprego ou extender o crédito.”

Nós entramos em contato com o Facebook para saber se ainda há anúncios direcionados ou que excluem pessoas baseados na raça estão rodando na rede. No entanto, a companhia se negou a dar respostas.

Foto do topo por Jeff Chiu/AP