Há décadas, interagimos com computadores, smartphones, tablets e videogames do mesmo jeito: olhamos uma tela inicial cheia de ícones estáticos, clicamos (ou tocamos) no aplicativo e fazemos a tarefa. Esse paradigma começou a mudar com a ideia dos “blocos dinâmicos” (live tiles, em inglês) que apareceu no Windows Phone 7 em 2010. O sopro de novidade para a indústria de smartphones se aprimorou e tomou a forma definitiva no Windows 8. A tela principal padrão do novo sistema da Microsoft é formada também por “blocos” e notificações. É uma maneira mais rica e informativa de ver o que os aplicativos instalados oferecem: em vez de ser simplesmente um ícone, por exemplo, o bloco do email já mostra as últimas mensagens não lidas; o de fotos fica alternando entre as imagens mais novas adicionadas à galeria, e o bloco de redes sociais mostra as fotos e notificações postadas recentemente pelos seus amigos.

Tudo isso pode ser customizado para ficar com a sua cara, ou deixar o que mais importa para você no centro. Depois de um tempinho usando os blocos da configuração original, é bom experimentar com eles. Para começar, quem gosta de tudo encaixadinho como em um Lego pode mudar os blocos para mais retangulares, espichados, ou quadrados – o que muda o tipo de informação que eles oferecem. Se você não quiser que as atualizações apareçam nos blocos dinâmicos por qualquer motivo é possível desligar essa funcionalidade. E depois de brincar com os bloquinhos é possível trocá-los de lugar, para acesso rápido ao que é mais comum e importante na vida. Você acessa sempre o Gizmodo, por exemplo? Crie um bloco-atalho. Tem uma lista de reprodução específica do trabalho? Deixe lá pronta para te inspirar. Há uma pasta de emails que merece mais atenção? Coloque na tela inicial para monitorar a conversa, sem precisar abrir o aplicativo o tempo todo.



O importante é ir experimentando. Com o Windows 8, você cria uma área de trabalho (ou várias!) de acordo com as suas necessidades, economizando tempo e, de quebra, deixando tudo mais bonito. E se sentir saudade do modo antigo, com o visual consagrado de ícones e menus, herdado pelo Windows 7, basta levar a seta do mouse para o canto inferior esquerdo da tela ou usar Windows + D no teclado.