Embora a franquia de jogos Resident Evil certamente tenha se transformado em seu próprio tipo de terror estranho atualmente – com vampiras de 3 metros de altura – as adaptações para o cinema rapidamente se transformaram em suas próprias criaturas. Agora, a última tentativa de reiniciar a saga das telonas é tentar trazê-la para mais perto de onde tudo começou.

Em entrevista, o diretor Johannes Roberts enfatizou que o filme Resident Evil: Bem-vindo a Raccoon City (tradução literal de Welcome to Raccoon City) foi mais do que apenas uma ruptura com os filmes anteriores de Resident Evil, mas uma tentativa de trazê-lo de volta às raízes assustadoras da franquia.

O longa é uma adaptação dos eventos dos dois primeiros jogos de Resident Evil, detalhando as operações da STARS na Mansão Spencer, com Claire Redfield (interpretada por Kaya Scodelario) e o policial novato Leon S. Kennedy (Avan Jogia).

“Tratava-se de voltar aos jogos e criar um filme que iria além do gênero de terror do que a ‘ação sci-fi’ dos filmes anteriores. Fui extremamente influenciado, em particular, pelo remake do segundo jogo e realmente queria capturar o tom atmosférico que ele tinha. Foi tão cinematográfico”, disse Roberts.

“Os filmes anteriores eram muito brilhantes, ao passo que este filme era escuro e sujo, inteiramente gravado à noite. Está chovendo constantemente e a cidade está envolta em névoa. Fui muito influenciado pelas técnicas de filmagem dos anos 1970. Filmamos com muito zoom! E não há fotos de drones no filme ou maluquices de câmeras em computação gráfica que sejam fisicamente impossíveis. O filme tem um toque retrô. ”

Certamente há uma vibe retrô nas primeiras imagens divulgadas. Os personagens clássicos de Resident Evil, como Leon e Claire, marcam presença ao lado dos agentes do STARS Chris Redfield (Robbie Amell), Jill Valentine (Hannah John-Kamen) e Albert Wesker (Tom Hopper). Tudo é escuro e sombrio, as roupas são cópias fiéis das usadas nos jogos originais e no remake recente de Resident Evil 2.

Reprodução/IGN.com

“Sempre voltávamos ao jogo quando olhávamos para os personagens, criaturas e para os locais. Era nossa estrela-guia. Como disse antes, trabalhamos em estreita colaboração com a Capcom”, continua Roberts.

“Cada personagem e criatura vem do jogo e, como tal, queria ser o mais fiel possível. Queria criar um sentimento verdadeiramente envolvente para os fãs. Mas isso também se tornou a parte mais complicada de adaptar um pedaço de propriedade como esta porque eu não queria apenas colocar o jogo na tela. Tinha que ser uma coisa própria, com personagens e criaturas vivas (e, claro, zumbis!) que parecia verdadeiro ao mundo.”

Assine a newsletter do Gizmodo

Veremos o sucesso de Roberts para se desvencilhar dos antigos filmes de Resident Evil quando Bem-vindo a Raccoon City chegar aos cinemas. Por ora, a previsão de lançamento é para 24 de novembro nos EUA.