A Amazon passou os últimos quatro anos criando um smartphone. Só que o Fire Phone não é tão bom assim, e ainda custa tanto quanto alternativas muito melhores no mercado. Ou, pelo menos, custava: agora ele sai quase de graça em contrato de dois anos.

O Amazon Fire Phone foi lançado por US$ 649 (32 GB) e US$ 749 (64 GB) sem contrato com operadora, preços próximos aos cobrados pelo iPhone. Agora, esses valores receberam um corte de US$ 200 (US$ 449/549), e estão até mais baratos que o Galaxy S4 nos EUA.



Com contrato de dois anos, o Fire Phone agora custa um dólar no modelo de 32 GB (e US$ 100 no modelo de 64 GB) na operadora americana AT&T. De repente, virou uma pechincha!

Por que esse corte tão agressivo de preços? Bem, a Amazon nunca libera os números de vendas para seu hardware, mas o Guardian estima que o dispositivo só vendeu 35.000 unidades desde que foi lançado – ele entrou em pré-venda no final de junho.

Esse número é terrivelmente baixo. No ano passado, a Apple vendeu 4,5 milhões de iPhones por mês, em média, só nos EUA. A Samsung, por sua vez, vendeu 2,6 milhões de smartphones por mês no país, em média, de acordo com a NPD.

Foto: Gizmodo

O que aconteceu? Ora, depois de meses de especulação, a Amazon – conhecida por seus preços baixos – lançou um aparelho caro e restrito a uma operadora nos EUA. E as resenhas na própria Amazon descrevem os grandes problemas do Fire Phone: ele esquenta muito, sua bateria dura pouco, e sua interface é desajeitada.

São problemas de usabilidade que as vantagens do Fire Phone – como a boa câmera e os fones de ouvido bacanas – não conseguem compensar. Mesmo com um ano de Amazon Prime gratuito – um serviço que custa US$ 99 anuais – o preço só piora tudo.

O New York Times nota que a estratégia de baixar preço nem sempre adianta. O HTC First, primeiro “Facebook Phone”, custava US$ 100 em contrato de dois anos. Após vendas fracas, o preço caiu para US$ 0,99 no contrato, mas não adiantou – o aparelho foi retirado do mercado.

O jornal também lembra, no entanto, que o primeiro tablet Kindle Fire recebeu muitas críticas quando foi lançado em 2011; mas o modelo mais recente, o Kindle Fire HDX, é quase imbatível. Será questão de esperar pelas próximas gerações?

Bem, há quem esteja comprando agora mesmo: o Fire Phone está em primeiro lugar entre os smartphones com contrato mais vendidos da Amazon. [New York Times]