Os pequenos supercomputadores de bolso que todos nós carregamos constantemente conosco não nos fornecem apenas informações úteis, eles também estão coletando uma série de dados sobre nós e nossos hábitos, o tempo todo. Aqui está um guia sobre o que é coletado pelo seu smartphone e os aplicativos que estão sendo executados, e como você pode recuperar algum controle.

Mas afinal por que o Facebook acha que eu conheço esses caras?
Impeça o Facebook de rastrear tudo o que você faz pela internet

Sensores, Android e iOS

O seu smartphone está cheio de sensores, monitorando onde você está no mundo, quão rápido você está se movendo, de que forma você está segurando seu telefone e muito mais. Todos esses dados são usados por aplicativos para melhorar a experiência do usuário – se certificando que os aplicativos do seu telefone mudem entre os modos paisagem e retrato e o mantenham no caminho certo para sua viagem – mas a quantidade de dados é identificada e armazenada depende em grande parte do fabricante do aparelho.

Nos últimos meses, a OnePlus esteve no centro de uma polêmica de privacidade sobre a forma como registra informações pessoais identificáveis (como identidade de dispositivos) e transmite esses dados de volta à base do OnePlus, ostensivamente para melhorar a experiência do usuário do dispositivo. Atualmente, a OnePlus retrocedeu uma parte dessa coleta de dados e promete usar apenas as informações que reúne internamente. No entanto, toda essa situação mostra o quanto de detalhes que o seu smartphone pode revelar e o quão complicado pode ser saber o que está sendo coletado e o que não.

Sensores de um smartphone. Foto por ifixit

A política de privacidade do Google, que afeta o Android entre outros serviços, é a seguinte: você pode ver que assim que você entra no Android com a sua Conta do Google, seu dispositivo fica vinculado às suas credenciais do Google e a empresa começa a registrar dados como a duração e o tipo das suas chamadas telefônicas, da localização do seu telefone, o dispositivo que você está usando, entre outros detalhes.

Você também pode encontrar a política de privacidade da Apple online. Embora muitos dos dados coletados sejam os mesmos a Apple difere do Google tornando muitos dos dados anônimos ou mantendo eles no seu iPhone (não é enviado de volta à Apple) – assim, embora sua localização possa ser rastreada no iOS, por exemplo, a própria Apple não sabe onde você está, só o seu telefone sabe.

Reconhecimento facial é outro bom exemplo de como a Apple se diferencia na privacidade. Os sensores de identificação de rosto mapeiam e sabem tudo sobre o seu rosto, mas essas informações são armazenadas de forma privada e segura em seu telefone; não é transferida para a Apple ou para o iCloud, tornando muito difícil alguém conseguir uma cópia do seu rosto.

No entanto, parte desses dados é compartilhada com aplicativos de terceiros. Por exemplo, alguns aplicativos podem querer colar um filtro de realidade aumentada no seu rosto. A Apple exige que qualquer aplicativo que solicite tais recursos de verificação de rosto deva apresentar uma política de privacidade ao usuário.

Imagem: Apple

Aplicativos de smartphone

Além das informações básicas coletadas pelo seu smartphone e transmitidas de volta (ou não) para a empresa que fez o seu aparelho, há todas as informações coletadas pelos aplicativos que você usa — os dados que são gravados e salvos depende das políticas de privacidade do aplicativo individual e das permissões que você forneceu.

Se você quiser saber exatamente o que um aplicativo pode rastrear no seu telefone Android, vá em Configurações, então vá para Aplicativos e Notificações, escolha um aplicativo e selecione Permissões. No iOS, vá em Ajustes e escolha um aplicativo para ver as permissões que ele tem. A maioria dessas permissões pode ser retirada com um toque tanto no Android quanto no iOS.


Imagem: Captura de tela

Isso informa os detalhes dos dados que um aplicativo pode rastrear no seu telefone, mas para saber exatamente como esses dados estão sendo usados você precisa olhar os termos e as condições de uso e a política de privacidade desse aplicativo, se o aplicativo tiver uma. O Google recentemente disse que combateria aplicativos sem políticas de dados do usuário, mas você ainda está em grande parte à mercê dos desenvolvedores de aplicativos em termos de como seus dados serão usados.

Por exemplo, você pode ler a política de privacidade do Airbnb aqui. Você está usando o aplicativo no seu telefone? O Airbnb pode rastrear sua localização, obter informações sobre o dispositivo que você está usando e registrar as horas que você usa o aplicativo. Estes dados são então utilizados para tudo, desde mostrar vagas de Airbnb perto da sua localização atual, até fazer melhores listas que tenham a ver com você.

Mesmo quando você acha que sabe o que está sendo rastreado, nem sempre é claro: o desenvolvedor Felix Krause revelou recentemente que ao dar uma permissão para um aplicativo ver fotos no seu dispositivo, você permite que o aplicativo veja onde você esteve, porque todas as suas fotos possuem geolocalização por padrão. Mesmo que você esteja bloqueando um aplicativo de rastrear sua localização, ele provavelmente ainda pode descobrir onde você mora e onde você viajou durante as férias através de suas imagens armazenadas. Claro, se o aplicativo realmente irá colher esses dados para qualquer finalidade depende do desenvolvedor.

Quando você pensa que sabe tudo que um aplicativo está ou não rastreando você, descobre que o Uber estava secretamente gravando a atividade da tela do iPhone, supostamente para melhorar a funcionalidade com o aplicativo Apple Watch. Se você quiser aceitar a explicação do Uber, o recurso foi usado para fazer o trabalho de renderização de mapa no telefone antes de transferi-lo para o gadget, mas é outro exemplo de como os usuários finais ficam sem saber nada.


Imagem: Captura de tela

Vá para a internet no seu navegador móvel de escolha e tudo o que já falamos sobre coleta de dados online entra novamente em jogo — suas pesquisas, o dispositivo em que você está, onde você está no mundo e assim por diante. Existem duas camadas para o rastreamento: os dados rastreados pelo seu aplicativo de navegador e os dados rastreados pelos sites que você visita.

Novamente, isso depende dos aplicativos e os serviços que você está escolhendo usar. No Google Chrome, você pode se surpreender em saber, registra uma tonelada de dados, incluindo seu histórico de navegação e miniaturas dos sites que você visita e, claro, se você efetuou o login no Google, então toda a sua atividade é reportada ao seu perfil do Google por padrão.

O Safari também rastreia muitos dos mesmos dados, embora de acordo com as políticas da Apple, ele guarde muito disso no dispositivo e agora inclui ferramentas de bloqueio de rastreamento para impedir que os anunciantes sigam seu comportamento de navegação na web.

Retomar o controle

Como você provavelmente pode perceber, saber exatamente quais dados são coletados e como esses dados podem ser usados ou transmitidos para terceiros, não é fácil – essas políticas são definidas em ambiguidade para dar aos fabricantes uma grande margem de manobra. A Samsung, por exemplo, de acordo com sua política, pode coletar informações de GPS do seu telefone, pode passar suas pesquisas de voz para um terceiro para conversões de fala para texto e pode compartilhar todos esses dados com parceiros de negócios que podem usar isso para mostrar anúncios para você.

Imagem: Captura de tela

Toda a linguagem sobre o assunto conta com um monte de “poréns”. Em última análise, se você não gosta do acordo, não use o telefone. Mas há certas configurações em seu aparelho que você pode usar para bloquear dispositivos e aplicativos individuais de colher tantos dados quanto talvez eles quisessem.

O rastreamento de localização é um grande dado –muito valioso tanto para os usuários finais como para os anunciantes.

No Android (padrão), você pode desativar o rastreamento de localização no dispositivo como um todo indo em Configurações, depois tocando em Segurança e localização e Localização e em seguida desligando o rastreamento.

No iOS, vá em Ajustes, depois vá para Privacidade e Serviços de localização e desative. Nos mesmos menus, você pode desligar ou limitar o rastreamento de localização aplicativo por aplicativo.

Já falamos sobre editar permissões de aplicativos individuais, seja através do menu Aplicativos e permissões nas Configurações do Android, ou tocando em um nome de aplicativo nas configurações do iOS.

A maioria dessas permissões é auto-explicativa, como acesso a seus calendários e contatos, mas você também pode controlar se os aplicativos podem ou não extrair dados dos sensores de movimento em seu telefone (para contar passos e assim por diante) — isto é rotulado como Sensores corporais no Android e Saúde no iOS.

No que diz respeito ao Google, você tem toda uma série de opções para gerenciar, cobrindo os aplicativos do Google no Android, iOS e em todos os outros lugares.

Se você abrir sua página de conta do Google na internet, escolha informações pessoais e privacidade, é possível alterar a forma como os dados são coletados (em Gerenciar suas atividades do Google) ou apagar alguns dos dados que o Google já possui sobre você (em Acesse Minha atividade). Por exemplo, você pode ver e apagar todas as pesquisas de voz que você executou no Google Assistant no seu telefone.


Imagem: Captura de tela

Os aplicativos individuais podem ter configurações específicas e opções de privacidade que você pode aproveitar, embora a maioria não tenha, e poucos desenvolvedores de aplicativos estarão tão interessados em coletar dados sobre você como o Google. O Facebook é uma exceção, e já escrevemos antes de como o Facebook segue você através dos dispositivos e como você pode limitar isso até certo ponto.

No final, o seu uso de smartphone está ajudando a criar uma imagem de quem você é e o tipo de publicidade na qual você está interessado para empresas como Google, Facebook e outros –mesmo que um aplicativo não faça parte de uma rede maciça de anúncios, ele pode vender seus dados para uma. A Apple se destaca nesse sentido, mantendo os dados que rastreia para seu próprio uso e em grande parte em um único dispositivo, embora, claro, os aplicativos que funcionam no iOS tenham mais liberdade para fazer o que quiserem.

Mesmo que você esteja razoavelmente satisfeito em aguentar algum monitoramento no Android e no iOS, é importante saber que tipo de dados você está fornecendo sempre que você liga o seu smartphone. Se isso significa que você vai desinstalar algumas ferramentas de mídia social, ou desativar o rastreamento de localização em alguns aplicativos, isso dá alguma forma de controle sobre sua privacidade.

Essa matéria foi produzida com apoio do Mozilla Foundation como parte de sua missão em educar indivíduos sobre sua segurança e privacidade na internet.

Ilustração do topo por Chelsea Beck/GMG