A construção de um novo loteamento de casas no condado de Devon, na Inglaterra, rendeu a arqueólogos um achado único. Em uma caverna da região, foram encontrados fósseis de diversos animais – incluindo mamutes lanosos e rinocerontes – que parecem ter vivido entre 30 e 60 mil anos, durante a última Era do Gelo.

A construtora responsável pelo empreendimento na cidade de Sherford, no sul do país, disse que irá preservar o local em que os artefatos foram encontrados. Nenhuma construção será feita sobre a caverna, assim como a entrada do local será barrada para evitar o acesso público.

Os fósseis remetem ao período conhecido como Devensiano Médio, época em que o clima congelante tomava grande parte do País de Gales e norte da Inglaterra. O ambiente frio e seco permitia apenas que espécies adaptadas prosperassem, como os mamutes, rinocerontes, renas, hienas e lobos.

Entre os achados recentes estão um esqueleto de lobo quase completo, presa e ossos de um mamute lanoso e também parte do crânio de um rinoceronte-lanudo.

Os animais não necessariamente viveram na mesma época. Os cientistas sugerem que eles tenham caído em uma cova em comum ao longo de milhares de anos ou que seus ossos foram levados para a caverna por predadores.

Os fósseis continuam sendo investigados por pesquisadores da Universidade de Winchester, da Universidade de Manchester e da consultoria arqueológica AC Archaeology, todas instituições britânicas. O estudo pode ajudar cientistas a compreender os efeitos das mudanças climáticas neste ecossistema do passado.

Durante a fase de análises, os restos mortais ficarão sob os cuidados do museu The Box em Plymouth, próximo do local em que foram achados. No futuro, os ossos deverão ser expostos neste mesmo espaço.