A África é um dos últimos grandes redutos de megafauna do mundo. No entanto, com o crescimento da população e industrialização, leões, zebras e elefantes estão desaparecendo ou sendo deslocados para outras áreas. Uma série angustiante de fotografias feitas por Nick Brandt mostra essa transformação de forma visceral.

Chamada de “Inherit the Dust”, a série une fábricas e terrenos baldios ao redor da África Oriental com imagens em tamanho real de animais que já viveram nessa regiões.



nick-instalacao

Imagem de bastidor mostra como foi feita imagem com imagem de elefante em tamanho real. Crédito: Nick Brandt

As imagens não foram criadas no Photoshop. O fotógrafo criou instalações durante uma viagem de quatro meses pelo continente. De um chimpanzé deitado em uma viela empoeirado a rinocerontes chafurdando montes de lixo, a série mostra uma beleza trágica que transcende as fronteiras culturais, ressaltando os efeitos do que é viver no antropoceno, período recente da história da Terra em que humanos começaram a impactar no planeta. É um alerta para a preservação da existente megafauna que ainda temos em nosso planeta e do patrimônio da Terra que já existiu na Europa, Ásia, Austrália e nas Américas.

“Essencialmente, isso diz respeito a nós”, escreve Brandt, em seu livro de fotografia “Inherit the dust”, que está disponível para venda. “É sobre o número impressionante de humanos e o impacto que temos na quantidade finita de espaço e recursos para tantos seres humanos.”

As imagens abaixo são cortesia de Brandt. O trabalho do fotógrafo será exposto entre abril e maio em locais como Los Angeles, Londres, Berlim, Paris e Estocolmo.

Veja as imagens em tamanho ampliado.