No dia 22 deste mês a Califórnia processou a Activision Blizzard, conglomerado publisher de jogos, por má conduta de trabalho e assédio sexual. Hoje (27), mais de 2 mil atuais e ex-funcionários assinaram uma carta chamando a resposta da empresa ao caso de “abominável e insultuosa”.

De acordo com a Bloomberg, que teve acesso à carta, um porta-voz disse que a ação judicial possui descrições “distorcidas” e parcialmente “falsas” do passado da Blizzard. O presidente J. Allen Brack fez um pronunciamento público e afirmou que o comportamento detalhado é “completamente inaceitável”.

A presidente-executiva da Blizzard, Frances Townsend, disse que a ação é uma representação “distorcida” da companhia, com situações e fatos fora de contexto.

Em resposta, os funcionários que corroboraram as acusações via redes sociais alertam aos superiores que reconheçam a “seriedade das alegações” e exigem que tais demonstrem “compaixão pelas vítimas de assédio”.

No final do ano passado a Activision Blizzard tinha cerca de 9,500 funcionários.

Assine a newsletter do Gizmodo

Certo trecho da carta, em tradução livre:

Apoiamos todos os nossos amigos, companheiros de equipe e colegas, bem como os membros de nossa dedicada comunidade, que sofreram maus-tratos ou assédio de qualquer tipo. Não seremos silenciados, não ficaremos de lado e não desistiremos até que a empresa que amamos seja um local de trabalho do qual todos possamos nos sentir orgulhosos de fazer parte novamente. Nós seremos a mudança.

Activision Blizzard é responsável por jogos famosos como a série Call of Duty, Tony Hawk, Crash e o clássico World of Warcraft.

[Destructoid]